Alagoas tem dois bloqueios em rodovias e mais de 600 caminhões parados

No quarto dia de protestos dos caminhoneiros em todo o Brasil, Alagoas tem um novo ponto de interdição.

TNH1

Alagoas tem dois bloqueios em rodovias e mais de 600 caminhões parados

A Polícia Rodoviária Federal confirmou na manhã desta quinta-feira (24) que além da BR-101, entre Messias e Rio Largo, onde mais de 500 caminhões estão parados e outros 140 estacionados em postos, há bloqueiosna BR-316, em Palmeira dos Índios.

Os manifestantes impedem a passagem apenas de caminhões, como forma de pressionar o governo federal a reduzir os preços dos combustíveis. Nessa quarta, a Petrobras anunciou que reduzirá o preço do diesel nas refinarias em 10% por um período de 15 dias. O preço do diesel acumula alta de mais de 50% desde que a empresa adotou uma nova política de preços baseada no mercado internacional.

O prazo de 15 dias foi definido para amenizar o clima de protestos e dar tempo para o governo negociar com os caminhoneiros, mas a categoria não aceitou.

Falta de combustíveis

Com a paralisação, o TNH1 confirmou que em alguns postos já faltam combustíveis, apesar de o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Alagoas (Sindicombustíveis-AL), ter informado, ontem, que “não há, até o momento, relatos de desabastecimento em Alagoas, mas caso haja, a população será informada”.

Em dois postos na Serraria, o álcool acabou, e em um posto no Barro Duro não há mais diesel. Com a grande procura, deve acabar a gasolina ainda nesta quinta no estabelecimento.

No interior de Alagoas, um internauta – que preferiu não se identificar – informou à reportagem do TNH1 que desde a noite dessa quarta-feira (23) as cidades de Ibateguara e São José da Laje já sofrem os efeitos da greve dos caminhoneiros.

“Eu fui abastecer ontem no horário da noite e o único combustível disponível era o óleo diesel. Por aqui, não tem nem álcool e tampouco gasolina”, disse.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Vídeos