Alemanha procura tunisiano suspeito de atacar feira de Natal em Berlim

Polícia não descarta que documento encontrado na cabine do caminhão seja falso. Governo diz que está em busca de suspeito, mas não divulga identidade.

Alemanha procura tunisiano suspeito de atacar feira de Natal em Berlim

lícia alemã procura um tunisiano após ter encontrado um documento de identidade no caminhão que atropelou uma multidão em uma feira natalina em Berlim, segundo reportagem da edição online da revista Der Spiegel nesta quarta-feira (21). No ataque de segunda-feira (19), reivindicado pelo Estado Islâmico, matou 12 pessoas e feriu 48.

O ministro do interior alemão, Thomas de Maiziere, confirmou que a polícia está em busca de um novo suspeito, mas não mencionou a identidade do procurado.

A Reuters afirma, citando a revista alemã, que a polícia tenta localizar o dono de um documento de identidade encontrado sob o banco do motorista do caminhão. Embora não indique suas fontes, a reportagem diz que ele se chama Anis A. e nasceu em Tataouine, na Tunísia, em 1992. A polícia acredita que o homem usa nomes falsos.

O tunisiano suspeito esteve em contato com a rede de um importante ideólogo islâmico conhecido como Abu Walaa, informou a revista Sueddeutsche Zeitung. A reportagem acrescentou que ele tinha pedido de asilo e tinha conseguido a permissão de residência, segundo a Reuters.

Nesta manhã um outro suspeito foi preso, mas foi liberado em seguida, de acordo com a Reuters citando da mídia alemã.

O único suspeito preso pouco depois do ataque, um paquistanês de 23 anos registrado como demandante de asilo, foi liberado na terça-feira (20) à noite por falta de evidências contra ele, o que aumentou o alerta no país.

“Não podemos descartar que o autor esteja em fuga”, disse ao canal ZDF o ministro do Interior, Thomas de Maiziere, segundo a France Presse.

O chefe de polícia de Berlim, Klaus Kandt, anunciou um nível de alerta elevado e a ampliação das medidas de segurança. “Estamos em um caso em que talvez tenhamos um criminoso perigoso na região e isto, obviamente, deixa as pessoas nervosas”, disse Kandt.

Após a liberação do suspeito, Kandt afirmou ao canal ARD acreditar que “um ou mais” criminosos podem estar fugindo e que possivelmente estão armados.

Várias linhas de investigação

 Na segunda-feira à noite, um caminhão com placa da Polônia avançou contra uma multidão em uma das feiras de Natal mais movimentadas de Berlim, arrastando todos os quiosques e visitantes que estavam em sua frente, de acordo com a France Presse.

O balanço do atentado é de 12 mortos e 48 feridos, sendo que 24 permanecem hospitalizados e 14 deles se encontram em estado crítico.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade