Bandidos anunciam 'toque de recolher' e PM é acionada para o Jacintinho

Clima é considerado tenso desde que três pessoas foram mortas nesta terça

Bandidos anunciam 'toque de recolher' e PM é acionada para o Jacintinho

O Comando de Policiamento da Capital (CPC) afirmou, na tarde desta terça-feira (30), que guarnições do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Radiopatrulha (BPRP) e do Batalhão de Polícia de Eventos (BPE) foram acionadas para o Jacintinho, em Maceió, após denúncia de que lojas do bairro fecharam as portas, com ameaça de depredação por parte de traficantes. Os policiais militares foram ao local para tentar garantir segurança à população.

Na Avenida Cleto Campelo, que concentra a maioria das lojas do bairro, o clima ficou tenso nesta tarde. Temendo arrastões, os comerciantes fecharam as portas. “A gente está com medo. Minha sobrinha viu um tumulto em frente ao ginásio quando estava saindo da escola. Disse que foi um arrastão”, afirmou Márcio Ramos, morador do Jacintinho.

O temor teve início ainda na manhã de hoje, quando três pessoas foram assassinadas na Grota do Cigano, no Jacintinho. Revoltados, os moradores realizaram protesto e denunciaram que os homicídios teriam sido praticados por um policial militar. Foram enviadas cinco viaturas somente do Bope, segundo o comandante do CPC, Paulo Domingos Lima Júnior.

Poucas pessoas foram vistas circulando na principal via de acesso ao bairro, e muitos comerciantes tinham medo de falar à polícia. “O pessoal fechou as lojas porque todos estão com medo dos bandidos da grota subirem”, afirmou um morador, que não quis se identificar. 

Morreram, nesta manhã, Erick da Silva Lopes, de 19 anos, e Carlos Henrique Soares de Oliveira, de 13 anos. Lucas Maciel dos Santos, conhecido como Lukinha, de 14 anos, veio a óbito no Hospital Geral do Estado (HGE), após ser atingido por tiros na cabeça, ombro e pescoço. 

Pela manhã, ao menos 10 viaturas ainda estiveram no local da ocorrência. Após as mortes, por volta das 7h, teve início um tumulto entre moradores, que acusam militares de terem cometido os crimes. Balas de borracha foram disparadas e deixaram pelo menos uma pessoa ferida. 

Contrariando as denúncias de populares, o comandante do Batalhão de Policiamento de Eventos (BPE), capitão Santiago, contou que, no início da manhã, a guarnição recebeu um chamado referente a um tiroteio. Ao chegar à localidade, a polícia já teria encontrado os dois jovens mortos. O terceiro foi socorrido e levado para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde entrou em óbito.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade