Brazuca é mais estável e previsível que a Jabulani, diz NASA

Engenheiros da NASA testaram a aerodinâmica da Brazuca, a bola oficial da copa desenvolvida pela Adidas

Brazuca é mais estável e previsível que a Jabulani, diz NASA

Milhares de pessoas apaixonadas pelo futebol estão de olho nos jogos da Copa do Mundo. Entre esses fãs estão engenheiros da NASA, agência espacial americana, que testaram a aerodinâmica da Brazuca, a bola oficial da copa desenvolvida pela Adidas. Segundo os cientistas, a nova bola é mais estável e previsível.

A aerodinâmica é uma área da física que estuda como o ar e os líquidos fluem em torno de objetos.

A Jabulani, bola da Copa do Mundo anterior, ficou conhecida por seus movimentos “sobrenaturais”.

Ela era amada por atacantes, mas odiado por goleiros. Um chute com pouco ou nenhum efeito fazia a trajetória da bola ser incerta, o que dificultava na hora da defesa.

Mas esses problemas acabaram com a criação da Brazuca.

Para diminuir a imprevisibilidade da Jabulani, a Adidas trabalhou com centenas de jogadores para fazer a nova bola. Depois, a bola passou por melhorias para ficar mais estável.

Para Rabi Mehta, chefe do laboratório do Ames, o material da bola e sua distribuição determinam a aerodinâmica. A Brazuca é feita de um material mais rugoso. Isso cria uma espécie de proteção em torno da bola que diminui a resistência do ar.

Com isso, a chance de ela seguir um rumo incerto quando chutada é menor. Portanto, sua trajetória de voo é mais previsível.

“Os jogadores devem estar mais felizes com a nova bola”, disse.

Os engenheiros testaram as bolas em um túnel de vento para avaliar a oscilação da bola.

Os engenheiros também as colocaram em tanque de água para analisar como fluídos se comportam ao entrar em contato com a bola de acordo com a velocidade da Brazuca.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade