Circuito Universitário de Cinema exibe filmes e promove debates sobre a ditadura civil-militar na América Latina

Circuito Universitário de Cinema exibe filmes e promove debates sobre a ditadura civil-militar na América Latina

Circuito Universitário de Cinema exibe filmes e promove debates sobre a ditadura civil-militar na América Latina

O documentário inédito 500 – Os Bebês roubados pela Ditadura Argentina, de Alexandre Valenti, será um dos destaques da primeira edição do Circuito Universitário de Cinema, uma mostra de filmes sobre o período da Ditadura Civil-Militar na América Latina e suas consequências. O evento acontece no mês de agosto e setembro nas universidades, escolas e instituições de ensino de todo o País. Em Alagoas, o circuito teve início na última quarta-feira (27). 

O Circuito Universitário de Cinema, projeto realizado pela MPC & Associados em parceria com a Petrobras e apoio da Comissão da Anistia, tem como principal objetivo fomentar, no ambiente acadêmico, o diálogo e a reflexão sobre questões de interesse nacional e histórico, despertando nos jovens o interesse pela história de seu país. Em sua primeira sessão, realizada no município de Palmeira dos índios, mais de 210 espectadores foram prestigiados com a mostra. 

Os outros dois documentários escolhidos são “Setenta – 70”, de Emília Silveira, e “Duas Histórias”, de Ângela Zoe. 

Todas as sessões são gratuitas e abertas ao público. Após a exibição, será realizado um debate sobre o tema com acadêmicos, pesquisadores, pessoas de movimentos sociais e culturais, além dos diretores ou produtores dos filmes. A programação, tanto de Alagoas como dos outros Estados, pode ser conferida através do site:

https://www.facebook.com/circuitouniversitariodecinema 

 

|Filme inédito| 

Entre os três filmes do Circuito, apenas 500 – Os Bebês roubados pela Ditadura Argentina é inédito. O filme, uma coprodução Brasil e Argentina, conta a história daquelas que ficaram conhecidas como “As Avós da Praça de Maio” e a participação do grupo brasileiro Clamor na luta para localizar os bebês sequestrados ou nascidos em prisões clandestinas: os “500”. Segundo os órgãos de defesa de direitos humanos, cerca de 500 netos foram afastados de suas famílias biológicas, em um total de 30 mil pessoas desaparecidas durante a ditadura naquele país. 

Coproduzido aqui pela MPC & Associados, 500 – Os Bebês roubados pela Ditadura Argentina foi filmado no país portenho, e no início de 2014, no Brasil. Uma das personagens do filme é Estela de Carlotto, presidente das Avós da Praça de Maio, cujo neto, de 35 anos, acabou de ser encontrado – a notícia foi manchete nos jornais na primeira semana de agosto. Com ele, já somam-se 114 os netos encontrados. 

 

Sobre os filmes:

 

500 – Os bebês roubados pela Ditadura Argentina

Duração: 100 minutos

Gênero: Documentário

Direção: Alexandre Valenti

 

Sinopse: Entre 1976 e 1983, a Argentina viveu sombrios anos de ditadura militar. Neste período, famílias inteiras foram despedaçadas pela repressão clandestina empreendida por um estado terrorista que ceifou a vida de cerca de 30 mil argentinos. Dentre as práticas mais aterradoras deste regime estava o sequestro sistemático de bebês e crianças, filhos de presos e desaparecidos políticos, que eram apropriados por seus algozes com espólio de guerra. A partir da iniciativa das Avós da Praça de Maio criou-se o “Banco dos 500”, com amostras de seu próprio sangue, o que possibilitou a descoberta de 114 das 500 crianças sequestradas. Reunidos às suas famílias reais e às suas verdadeiras identidades, os jovens nascidos nas maternidades dos campos da morte, juntamente com as Avós da Praça de Maio confrontam, em 2011, perante o Tribunal de Buenos Aires, os dignitários da mais sangrenta ditadura Argentina, acusados de genocídio e crimes contra a Humanidade: um caso histórico, único e universal. O documentário “500 – Os bebês roubados pela Ditadura Argentina” narra esta incansável luta das avós e seus netos que continua, diariamente, até que o último dos “500” seja encontrado.

 

70 – Setenta

Duração: 96 min

Gênero: Documentário

Direção: Emilia Silveira 

Sinopse: O Brasil vive o ápice da repressão promovida pelo regime militar. Prisões, torturas, desparecimentos e mortes são cada vez mais constantes. Com todas as vidas democráticas fechadas grupos de esquerda armada organizam sequestros de embaixadores para pressionarem o governo a negociar e a libertar companheiros presos. O documentário reencontra 18 personagens, que faziam parte de uma lista de setenta presos políticos libertos em troca do embaixador suíço Giovanni Enrico Burcher. Passados 40 anos do ocorrido o filme narra a emocionante visitação as memórias do período por parte destes sobreviventes, alternando histórias dramáticas, curiosidades e até mesmo momentos bem humorados de quem enfrentou a repressão e a violência.  

 

Duas histórias

Duração: 52 minutos

Gênero: Documentário

Direção: Angela Zoe 

Sinopse: Duas Histórias foi produzido com o apoio do projeto Marcas da Memória, da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça, tendo como linha condutora a trajetória de dois militantes socialistas na luta contra a ditadura militar brasileira. O filme narra duas experiências diferentes, pois diferentes eram as concepções políticas que orientavam a resistência à ditadura. Mas são iguais na coragem, na dor, na sobrevivência e superação.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade