Cool celebra a diversidade em primeira edição do réveillon Virada 2018

Mega estrutura e atrações nacionais do segmento LGBT foram destaques durante a festa da virada

Assessoria Virada 2018 / Andrew Pereira

Cool celebra a diversidade em primeira edição do réveillon Virada 2018

Diversidade é a palavra que define a primeira edição do réveillon Virada 2018 organizada pela produtora COOL. A festa, que superou as expectativas, reuniu no último dia 31 de dezembro mais de duas mil pessoas no Armazém Usina, em Jaraguá, e levou ao palco grandes atrações nacionais do segmento LGBT para celebrar a chegada de 2018.

O show de abertura foi por conta do grupo formado por drag queens Boom Drag, e teve a presença da cantora Danny Bond no palco. No decorrer da noite, nomes como Lana Almeida, Hagata Layser, Rafael Newbond, Maju Shanii, Naná Martins, além do fenômeno Pabllo Vittar, agitaram o evento em um super palco com dois telões de LED e uma passarela com mais de cinco metros de comprimento.

O público presente pôde vibrar e se encantar com a diversidade de artistas e a forte presença da arte drag no local. Lucas Mariano fez questão de parabenizar a produção pelo grande evento. “Que local maravilhoso, que festa incrível e maravilhosas apresentações”, comentou o jovem através da página do Virada 2018, na rede social Facebook. Já Bruno Fernandes se surpreendeu com a produção. “Show incrível e organizado. Esperava menos e fiquei surpreso. Amei!”, afirmou.

Respeitando a tradição, a produtora simulou uma queima de fogos através de projeção no telão com 20 metros de comprimento localizado no teto do Armazém. Marcada pela super estrutura ofertada, a Virada 2018 também contou com diferentes ambientes para a circulação do público e com mais de 100 colaboradores, garantindo a logística e o bom funcionamento entre seguranças, bilheteria, bombeiros,  atendentes, entre outros.

“Foi fascinante ver o público vibrando, se jogando e comemorando em nossa festa. Só nos resta aquela sensação de dever cumprido por ter contribuído, mais uma vez, com uma alternativa de evento para o cenário LGBT na cidade”, disse o produtor a frente da Cool, Diego Senna. 

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade