Edi Ribeiro leva o forró jazz e o coco sincopado de Jacinto Silva para a orla da Jatiúca

Guitarrista, cantor e compositor se apresenta em Maceió nessa quarta-feira (21), a partir das 16h, no projeto da Secretaria de Estado da Cultura 'Pôr do Sol cultural'

Edi Ribeiro leva o forró jazz e o coco sincopado de Jacinto Silva para a orla da Jatiúca

O guitarrista, cantor e compositor Edi Ribeiro se apresenta nesta quarta-feira (21) no programa “Pôr do Sol cultural”, que a Secretaria de Estado da Cultura (a Secult) promove diariamente em Maceió, até o dia 30. Os shows estão acontecendo a partir das 16h, no Posto 7, praia da Jatiúca, reunindo bandas e artistas solos e, também, grupos folclóricos ou de cultura afro-brasileira.

Nessa quarta-feira, o festival começa, às 16h, com a sonoridade afro de Nana Martins e o grupo Arafunfun Omanjerè. Em seguida, a partir das 17h, Edi Ribeiro sobe ao palco acompanhado do baterista Jailson Rego e do contrabaixista Jadielson Costa. “É um power trio. Mesclaremos composições minhas e de Dominguinhos, Jacinto Silva e Luiz Gonzaga, que são ícones da música regional”, destaca Ribeiro, artista de excepcional sensibilidade musical, traduzida não somente pelas composições ricas em harmonias poderosas e letras sagazes, mas, também, pelo vocal extenso e afiado.

“É o mesmo show que apresentamos recentemente na sétima edição do projeto ‘Palco aberto’. Terá, também, músicas que vão estar no disco que será lançado em 2017 e que se chama ‘Eu no Baião de Dois’. É um trabalho que tem o pé no lançamento do álbum, com a proposta do forró jazz que é essa projeto que a gente já vem fazendo, desenvolvendo aqui pelos barzinhos”, explica o guitarrista, fundador e líder do antológico grupo de música regional Cumbuca. “Vou fazer um forró jazz, mas não perdendo a essência do nosso forró. Na realidade, é o jazz que tem de se adaptar ao nosso forró, não deixando de lado aquele clima dançante, envolvente, que o forró, o baião, têm.”

Espere música de qualidade muito acima da média. Edi Ribeiro consegue trazer para o forró a liberdade e o improviso do jazz, com habilidade e autenticidade admiráveis – ou melhor, apaixonante. Promete fazer o “Coco sincopado”, de Jacinto Silva, nessa pegada. “Também vou fazer Mestra Virgínia de Moraes, que originalmente é coco, mas vou colocar num ritmo de bumba meu boi, assim como o coco de Jacinto Silva.”

Edi Ribeiro interpretará, ainda, outros “clássicos” da música alagoana, como a composição “Boi Coco”, de Basílio Seh, Wagner Acioli e Wilson Miranda. O cantor Sebage fará uma participação em duas músicas (que Ribeiro tocou no show que ele fez no Teatro de Arena em outubro), o reggae “Tonight”, de David Bowie, e o rock “Anjo do Bem, Anjo do Mal”, de Sebage e Rosália Brandão.

“É tudo ‘antropofágico miscigenado’, ele brinca, referindo-se à happy hour que empreenderá, junto com Sebage e outros parceiros, no jardim do Teatro Deodoro a partir de janeiro de 2017.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade