Embratur estima visitas de mais de 2,4 milhões de estrangeiros durante o verão no Brasil

O Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) divulgou hoje (5) que estima a chegada de mais de 2,4 milhões de turistas estrangeiros para a temporada de verão no Brasil. O número, de acordo com o órgão, representa um crescimento de 11% em relação ao verão passado, quando 2,1 milhões de turistas estrangeiros visitaram o país. Ainda […]

Embratur estima visitas de mais de 2,4 milhões de estrangeiros durante o verão no Brasil

O Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) divulgou hoje (5) que estima a chegada de mais de 2,4 milhões de turistas estrangeiros para a temporada de verão no Brasil. O número, de acordo com o órgão, representa um crescimento de 11% em relação ao verão passado, quando 2,1 milhões de turistas estrangeiros visitaram o país.

Ainda segundo a Embratur, os números apontam que o período entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017 deve corresponder a um terço do total de visitantes estrangeiros recebidos durante todo o ano de 2015 (6,3 milhões). A alta atratividade dos destinos de sol e praia, que têm sido divulgadas na América Latina, Europa e Estados Unidos, influenciou o crescimento, segundo a . Outro motivo apontado pelo órgão é o sucesso dos Jogos Rio 2016.

Isenção de visto

Por meio de nota, a Embratur voltou a defender que a política de isenção de vistos de turismo adotada no Brasil durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos (de 1º de junho a 18 de setembro de 2016) seja estendida como forma de incrementar o setor e fortalecer a economia.

“A experiência com a medida representou aumento de 55,31% no número de estrangeiros com origem nos países beneficiados – Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália – em relação ao mesmo período de 2015”, informou.

Cálculos do Ministério do Turismo indicam que, caso a isenção se torne permanente, o impacto na economia nacional deverá alcançar US$ 175,2 milhões ao ano, o equivalente a R$ 600 milhões.

“Tanto o ministro [do Turismo,] Marx Beltrão, quanto o presidente [da Embratur, Vinicius] Lummmertz já levaram a ideia de retomada da isenção para debate com o Ministério das Relações Exteriores e com a Casa Civil. Se a medida for aprovada pelo governo, a tendência é que o novo período de isenção se estenda por dois anos”, concluiu.


Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade