Esquema de segurança da Copa em AL contará com 400 policiais

Seleção de Gana será acompanhada por 180 militares por dia e terá apoio da Força Nacional, polícias Civil e Federal

Esquema de segurança da Copa em AL contará com 400 policiais

O esquema de segurança para receber a seleção de Gana e os turistas que devem vir para Alagoas por conta da Copa do Mundo de Futebol já foi definido.

Um total de 400 policiais irá acompanhar, de perto ou de longe, os jogadores do país africano. Parte do efetivo, fica com a seleção 24 horas, seja no hotel onde ela ficará hospedada, no bairro de Pajuçara, seja no deslocamento para o aeroporto Zumbi dos Palmares, região metropolitana de Maceió, de onde ela segue para os locais de jogos.

Por dia, 180 policiais militares se dividem para fazer apoio de deslocamento com batedores e liberação de vias, entre outros. O trânsito, porém, não será bloqueado para a passagem dos jogadores.

Apesar de parecer muito, o número de policiais direcionados para esse trabalho é menor do que em outros estados, que serão sede do mundial ou que, por motivos diversos, receberam nível de segurança maior que Alagoas.

Apesar de ser “o estado mais violento do país”, em números proporcionais, Alagoas recebeu como classificação o nível 1 de segurança, o mais baixo para a competição de futebol.

Dos 400 policiais destacados para o esquema, 300 são militares e o restante faz parte da Força Nacional, Polícia Civil e Polícia Federal.

Conforme um padrão montado pelo governo federal, toda seleção vai ser acompanhada por um delegado da PF, que vai fazer a ligação da comitiva dos jogadores com o esquema de segurança montado. Aqui, o trabalho será feito pelo delegado Gustavo Gatto.

Uma das principais preocupações do esquema são os protestos que podem gerar bloqueio de avenidas e rodovias. A comitiva formada pelo secretário de Defesa Social, Diógenes Tenório, o comandante de Policiamento da Capital, Paulo Lima Júnior, e o delegado federal, informou que não será permitido abuso dos manifestantes, caso aconteçam, e que os protestos já estão sendo acompanhados. “As manifestações, se forem legítimas e pacíficas, não serão impedidas”, afirmaram.

O Exército só deverá participar do esquema em situações mais graves e em áreas vulneráveis da cidade. No aeroporto, a Força Aérea Brasileira vai dar apoio à segurança

O Bope, o Batalhão de Rádio Patrulha e a Cavalaria ficam de prontidão para executar o planejamento, a partir do dia 11. O esquema deve permanecer até 18 de julho, cinco dias depois da final da Copa do Mundo, porque Alagoas é um ponto turístico e pode receber representantes da FIFA e comitivas internacionais.

“Não há nenhuma recomendação acerca de possíveis ataques internacionais de terrorismo, mas estamos em alerta, porque a seleção de Gana é uma das rivais dos Estados Unidos na Copa e isso pode motivar alguma ação inesperada”, comentaram o delegado Gustavo Gatto e o comandante do CPC.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade