'Fiz por amor', disse militar em carta deixada antes de se matar

O cabo Luciano Muniz da Silva matou esposa e depois tirou a própria vida; no texto, ele ainda pede perdão à família

'Fiz por amor', disse militar em carta deixada antes de se matar

Uma carta escrita pelo militar que teria matado sua esposa e depois cometido suicídio na casa de sua sogra, na noite dessa terça-feira, 18, no município de Messias, região metropolitana de Maceió, parece ter as respostas necessárias para uma das versões investigadas pela polícia. Nela, o cabo Luciano Muniz da Silva teria escrito, entre outras coisas,  que cometeu o crime “por amor” e ainda acrescenta que “não aguentava mais a solidão”.

A carta, a qual o TNH1 teve acesso, ainda não foi periciada. De acordo com os peritos do Instituto de Criminalística (IC), no bilhete ainda há dois pedidos de perdão: um para os parentes de sua esposa e outro para seus familiares. “Este não é o melhor caminho, me perdoem meus filhos”, diz um dos trechos. Em outra linha, o cabo também isenta o dono do Gol prata, que ele dirigia quando chegou à Messias, de qualquer culpa.

O cabo Muniz chegou à casa da sogra no fim da tarde acompanhado por sua esposa, Rosileide da Silva Lima, em um Volkswagen, modelo Gol e de cor prata, emprestado por um amigo. Pouco tempo depois, duas crianças que estavam na casa avisaram a polícia do crime, que encontrou os dois corpos. 

Ainda segundo o IC, um exame preliminar feito nas mãos do militar comprovou que ele teria realmente feito os disparos que mataram Rosileide e depois cometido suicídio. “Não há como negar que conseguimos provas muito contundentes quanto a autoria dos crimes, mas ainda é cedo para dizer que o caso já foi concluído. Isso só a polícia poderá fazer, depois de ouvir os parentes”, explicou um dos peritos.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade