Hospital Vida realiza o primeiro transplante renal

Com um moderno centro cirúrgico, tecnologia de ponta e uma equipe altamente capacitada, o serviço médico-hospitalar visa ser referência regional nesse procedimento.

Assessoria de Imprensa / Gigi Accioly

Hospital Vida realiza o primeiro transplante renal Dr. Erick Acerb Barbosa. Foto: Hugoaques

O primeiro transplante de rim intervivos foi realizado em dezembro de 2017, no Hospital Vida. Uma equipe competente e atualizada, nas técnicas deste procedimento, composta por cirurgião vascular, cirurgião geral, nefrologista e Urologista, além de anestesistas, instrumentadores, enfermeiros e técnicos de enfermagem, realizou o referido procedimento e obteve resultado satisfatório. Um paciente de 28 anos que fazia sessões de hemodiálise, desde 2013, recebeu o rim doado por sua mãe.

Após cinco anos de preparação, o Hospital Vida foi credenciado pela Coordenação Geral do Sistema Nacional de Transplantes (CGSNT) e pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT), do Ministério da Saúde, que coordena as atividades para a realização de cirurgias intervivos, e de doador falecido, além de ser autorizado como captador de órgãos sólidos e de tecidos, e de partes do corpo humano, de acordo com decreto presidencial nº. 9.175, de 18 de outubro de 2017, que regula a Lei nº. 9.434/1997, que trata do tema.

Uma das novidades do centro cirúrgico é a interligação das duas salas para realização das cirurgias de transplante, simultaneamente, com doador e receptor, além de uma UTI totalmente equipada com o que há de mais moderno em equipamentos de tecnologia avançada, e equipes médica e multidisciplinar, capacitadas para um atendimento humanizado.

Após o sucesso da primeira cirurgia, o Hospital Vida está pronto para o atendimento regular. O Serviço de Transplante do hospital é coordenado pelo médico Erick Acerb Barbosa — doutor em nefrologia –, capacitado durante 4 anos em hospital de referência em São Paulo. Segundo o coordenador, a intenção do hospital é tornar-se referência no Nordeste, região carente desse tipo de procedimento. “Agora, o paciente não precisa se deslocar para outra região do país para realizar o transplante de rim ou de outro órgão. Com a capacidade técnica do Hospital Vida, a meta é reduzir o número de pessoas na espera por esse procedimento”, comenta o doutor Erick Acerb Barbosa.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade