Ilegal há 16 anos, brasileira casada com americano é presa em entrevista para ‘green card’

Nova política de imigração tem causado polêmica nos EUA

BBC Brasil

Ilegal há 16 anos, brasileira casada com americano é presa em entrevista para ‘green card’

Uma brasileira foi presa na semana passada em Lawrence (Massachusetts), nos Estados Unidos, enquanto fazia uma entrevista para legalizar sua situação no país.

Casada há um ano com um americano, ela vive ilegalmente nos EUA há 16 e era sócia de um salão de beleza na região de Boston.

À BBC Brasil o advogado da brasileira afirmou que, após 45 minutos de entrevista no departamento de imigração, oficiais da Agência de Imigração e Alfândega (ICE – Immigration and Customs Enforcement, na sigla em inglês) entraram na sala com uma ordem de deportação.

A mulher, que tem quase 40 anos e não foi identificada, foi levada para uma cadeia local, onde está presa desde quinta-feira.

“Eles namoravam havia 8 anos e se casaram no ano passado”, disse o advogado Brian Doyle, que estava presente no momento da prisão. “Ela tinha trabalho fixo e nenhum histórico de criminalidade. Estamos tentando agora conseguir uma reabertura do processo de deportação.”

Em nota, a agência de imigração dos EUA informou que, no total, cinco pessoas foram presas em Lawrence, sem dar detalhes sobre a situação de cada uma delas.

“Todos os indivíduos têm ordens definitivas de remoção emitidas por um juiz de imigração federal. Os cinco serão mantidos sob custódia até que sejam removidos dos Estados Unidos.”

Ainda de acordo com o órgão, dois dos presos tinham passagens pela policia. Os demais, também segundo o ICE, tinham “múltiplas infrações de trânsito”.

Histórico

A brasileira entrou nos Estados Unidos em 2001, com visto de turista. Desde então, nunca mais voltou para o Brasil.

A lei americana permite que pessoas em situação ilegal se regularizem dentro do território americano, especialmente em casos sem antecedentes criminais e de casamento com cidadãos locais.

Por outro lado, também permite que pessoas em situação irregular sejam detidas por meio de ordens de deportação expedidas por juízes, como foi o caso da brasileira.

O tema foi tratado com surpresa na imprensa local porque, historicamente, prisões como esta são pouco comuns no Estado de Massachusetts.

Resignação

Questionado sobre as condições da brasileira na cadeia de Suffolk County, para onde foi levada, o advogado afirmou que ela está “resignada”.

“Ela é uma pessoa muito forte. É conhecida na comunidade local. Ela é bastante prática, entende sua situação, mas sofre por estar longe dos filhos e do marido há tanto tempo.”

Segundo o advogado, não há previsão para a deportação ou para um eventual cancelamento da prisão e reinício do processo de naturalização da brasileira.

 

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade