Marta Arruda compartilha história de vida e inspira colaboradores da Algás

No mês de homenagens ao trabalhador, a distribuidora alagoana de gás natural, a Algás, recebeu na tarde dessa quinta-feira (06), a artista plástica alagoana, Marta Arruda, para um breve bate-papo sobre a sua trajetória de vida soldada por muitos desafios, dedicação e realizações. Em clima de talk show, Marta abordou suas experiências e o seu trabalho […]

Marta Arruda compartilha história de vida e inspira colaboradores da Algás

No mês de homenagens ao trabalhador, a distribuidora alagoana de gás natural, a Algás, recebeu na tarde dessa quinta-feira (06), a artista plástica alagoana, Marta Arruda, para um breve bate-papo sobre a sua trajetória de vida soldada por muitos desafios, dedicação e realizações.

Em clima de talk show, Marta abordou suas experiências e o seu trabalho como soldadora e artista, que coincidentemente se cruza com a história do gás natural em Alagoas. Sua carreira teve início como soldadora de gasodutos, sendo uma das primeiras mulheres a trabalharem nesse ambiente, predominantemente dominado por homens. Em meio aos desafios e preconceitos, Marta foi se descobrindo artista ao soldar restos de chapas e tubos que sobravam nas obras.

A artista descobriu as esculturas aos poucos, soldando peças durante seu intervalo de almoço no trabalho. Com o passar do tempo, o que era um hobbie se tornou sua atividade principal, fazendo de sua vocação a sua principal ferramenta de arte. “Sou artista, mas me considero uma soldadora até hoje! Digo que sou uma ‘artista-soldadora’. Tenho orgulho dessa profissão, que tem uma relação tão próxima com o dia a dia da Algás”, revelou Marta.

Para o assessor de planejamento e gestão estratégica da Algás, Gerson Fonseca, a alagoana que tem como marca suas esculturas em aço, faz parte da história da arte em Alagoas.

“São 30 anos desenvolvendo um trabalho como escultora, uma contribuição imensa para nosso estado. Ter Marta na Companhia é uma oportunidade dos colaboradores se inspirarem no seu processo de criação, na sua dedicação e nos trabalhos sociais desenvolvidos por ela. Reforça também o nosso compromisso em valorizar a cultura alagoana”, afirmou Gerson.

A exemplo de Marta, o técnico de operações da Algás, Adilson Morais, vê nos restos de materiais uma possibilidade de fazer arte. Com as sobras dos gasodutos de Polietileno de Alta Densidade – PEAD, que antes eram descartados, Adilson confecciona peças como mesas e cadeiras.

Como homenagem, Marta foi presenteada com uma cadeira feita de dutos de PEAD por Adilson, que se inspirou na escultora para desenvolver a peça. “A ideia foi surpreendê-la! Escolhi o PEAD, pois está presente na rotina de quem trabalha na manutenção de redes da Algás, da mesma forma que o aço esteva presenta na vida de Marta como soldadora”, afirmou Adilson.

De acordo com a Algás, o encontro com Marta Arruda foi planejado visando proporcionar um momento de inspiração por meio de exemplos de vida e trabalho que também podem ser considerados cases de gestão. “A prática está alinhada aos princípios da Companhia, dentre eles o “De Bem com a Evolução”, promovendo o aprendizado e o desenvolvimento dos colaboradores a cada nova experiência”, finaliza Gerson.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas