“Meu bebê vai nascer: como escolher a maternidade?”

Ser mãe é um momento mágico, seja para a mulher que está embarcando nessa viagem pela primeira vez, ou para aquela que já passou por essa travessia. Para ambas, no entanto, é importante que a atenção seja redobrada no momento de trazer ao mundo a nova vida.  O médico Urias Novaes, obstetra do Sistema Hapvida, […]

“Meu bebê vai nascer: como escolher a maternidade?”

Ser mãe é um momento mágico, seja para a mulher que está embarcando nessa viagem pela primeira vez, ou para aquela que já passou por essa travessia. Para ambas, no entanto, é importante que a atenção seja redobrada no momento de trazer ao mundo a nova vida. 

O médico Urias Novaes, obstetra do Sistema Hapvida, alerta que o cuidado deve começar desde cedo, com o pré-natal. “Sem pré-natal, a mãe abre precedentes para complicações, como infecções e até mesmo o risco de um parto pré-maturo”, afirma. 

Mas, outro momento importante para a mamãe, segundo o obstetra, é a escolha do local onde ela terá o bebê. “Conhecer o hospital, o setor da maternidade, o obstetra, a equipe médica que irá atuar no processo, as condições oferecidas pela unidade, tudo isso é muito importante”, afirma Novaes. 

O médico dá algumas dicas do que deve fazer parte do checklist da futura mamãe: 

– Obstetra de plantão: o ideal é que o obstetra que acompanhou toda a gestação faça o parto, mas no caso de ele não estar disponível na data, ou não chegar a tempo, é preciso contar com um hospital que tenha equipe de obstetrícia de plantão; 

– Pediatra neonatologista e anestesia de plantão: é preciso que esses profissionais façam parte do quadro da unidade, ou que estejam de sobreaviso; 

– UTIs – é preciso saber se a unidade tem uma UTI adulto e neonatal, caso mamãe e bebê necessitem de cuidados especiais. 

– Centro Obstétrico: é importante que o hospital tenha um centro próprio para o parto. Garante estrutura adequada e maior disponibilidade para os procedimentos;

 – Quais os protocolos? É bom conhecer os protocolos das unidades após o nascimento. Algumas unidades permitem amamentação logo após o nascimento, outras preferem realizar procedimentos como aspiração de vias aéreas e outros, que vai depender de cada caso. 

– E o acompanhante? Existem hospitais que permitem o acompanhante e mesmo a presença de uma “doula” durante o parto 

– Buscar opiniões: conhecer e conversar com outras mães que já realizaram parto nas unidades é importante para saber o que elas acham da unidade. 

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas