Mostra Sururu 10 Anos começa nesta terça-feira (10): Confira a programação completa

Após a intensa maratona de atividades, a mostra será encerrada no domingo (15) com a tradicional cerimônia de premiação, que em caráter excepcional vai entregar troféus em 12 categorias.

Assessoria de Comunicação / Rafhael Barbosa

Mostra Sururu 10 Anos começa nesta terça-feira (10): Confira a programação completa

Após levar um recorte do audiovisual produzido em Alagoas para mais de 1700 pessoas na capital e no interior, a Mostra Sururu de Cinema Alagoano – Edição de 10 Anos – finalmente dará início a sua aguardada competição oficial nesta terça-feira (10).

Num ano de superlativos, não foi apenas a versão itinerante do evento que bateu recordes.  Do número de inscritos (59) a quantidade de filmes em exibição (29), a Sururu chega a primeira década realizando sua edição mais robusta. Além das sessões competitivas de curtas-metragens, também serão exibidos videoclipes alagoanos. A programação traz ainda uma série de atividades paralelas, a exemplo da oficina “Salto no Vazio – Des/Programação de Atores para Cinema”, com Flávio Rabelo, e debates que fazem parte do Ambiente de Mercado.

No meio de tanta celebração não poderia faltar uma festa das boas. A SururuBar 2019 acontece no sábado, 14, no Rex Jazz Bar,  com Wado e o Bloco dos Bairros Distantes, Mopho e Orquestra do Pinto da Madrugada colocando todo mundo pra dançar.

Após a intensa maratona de atividades, a mostra será encerrada no domingo (15) com a tradicional cerimônia de premiação, que em caráter excepcional vai entregar troféus em 12 categorias. Antes do anúncio dos premiados acontecerá a sessão especial de estreia do documentário “O Cortejo”, de Flávia Correia, Marianna Bernardes e Rafhael Barbosa. E para conferir ainda mais emoção à noite, serão realizadas homenagens a dois personagens que ajudaram a construir a história do nosso audiovisual contemporâneo: o programador do Arte Pajuçara, Marcos Sampaio, e o crítico de cinema Elinaldo Barros.

A Mostra Sururu de Cinema Alagoano – Edição de 10 Anos é uma realização do Fórum Setorial do Audiovisual Alagoano e tem produção do Saudáveis Subversivos, com patrocínio da Prefeitura de Maceió, da Algás (por meio do Prêmio Algás Social), e do Sebrae Alagoas.  O evento conta com as parcerias do Centro Cultural Arte Pajuçara, do site Alagoar, do Mirante Cineclube, da Casa Sede e da Escola Técnica de Artes da Ufal. Além do apoio cultural da Universidade Estadual de Alagoas.

SERVIÇO:

O quê: Mostra Sururu de Cinema Alagoano – Edição comemorativa de 10 anos

Onde e quando: De 10 a 15 de dezembro, no Centro Cultural Arte Pajuçara, às 19h

Entrada franca

Informações: mostrasururu.com.br

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

10 DE DEZEMBRO

08h – Salto no Vazio

Oficina de Des/Programação de Atores para Cinema com Flávio Rabelo na Casa Sede

18h – Abertura da exposição 10 MOSTRA SURURU

19h – Cerimônia de Abertura

19h30 – Mostra Oficial no Centro Cultural Arte Pajuçara

21h – Debate com os realizadores no  Centro Cultural Arte Pajuçara

Videoclipe:

Livre

7min54s, Os Comparsas

Filmes:

Nas quebradas do Boi

21min, Documentário, Igor Machado, Maceió e Arapiraca

O Vale do Reginaldo e seus tons periféricos é o palco de uma jornada de sons, cores e fusões criativas. A vivência do grupo musical Tequilla Bomb com o mestre “Zé do Boi” e o grupo cultural “Boi Gavião”, promove uma rica interação da poesia e das vidas de quem faz pulsar a arte na periferia de Maceió.

O que é que as Batingas tem?

17min, Documentário, Direção Coletiva, Arapiraca

Nas Batingas tem música, tem poesia, tem capoeira e tem cultura. Um pouco da história da comunidade rural Batingas contado por alunos do projeto NAVI nas Comunidades.

O Saldo da Guerra 

01min, Ficção, Mário Zeymison, Palmeira dos Índios

As consequências do conturbado período eleitoral brasileiro no ano de 2018 retratadas através de depoimentos fictícios apresentados com grandes doses de realidade.

Lugar Comum 

2min, Experimental, Pedro Krull, Maceió

Videodança, baseada em uma performance do grupo de teatro CEPEC-AL. Ao som do saxofone, a dança costura o cenário cotidiano. Lugar Comum, pessoas diferentes.

Como Ficamos na Mesma Altura 

17min43seg, Ficção, Laís Araújo, Maceió

Interior de Alagoas. Laura perde uma festa para viajar com seu pai. Lá, na casa em que cresceram, ela é deixada sozinha por ele, que só retorna à casa para o jantar.

11 DE DEZEMBRO

08h – Salto no Vazio

Oficina de Des/Programação de Atores para Cinema com Flávio Rabelo na Casa Sede

14h – Ambiente de Mercado

Mesa de Abertura – O Movimento do Cinema Regional Brasileiro – Um Novo Mercado com Felipe Guimarães – AL , Letícia Santinon – SP, Daniela Fernandes – BA, Luciana Oliveira – SE e Mediação de Rafhael Barbosa no Teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara.

19h – Mostra Oficial no Centro Cultural Arte Pajuçara

20h30 – Debate com os realizadores no Centro Cultural Arte Pajuçara

Videoclipes:

Ei, mulher!
3min10seg, Janu

Rumos e Rumores

3min25seg, Vitor Pirralho e Ney Matogrosso

Filmes: 

Originários 

26min, Documentário, Marcelo Amorim, Arapiraca

O filme Originários busca em sua composição narrativas da tradição histórica, cultural, da vida econômica e social vividas por índios alagoanos através de depoimentos dos mais idosos, contadores das tradições nas aldeias, sobre a época em que eram crianças e a convivência com os mais velhos, o aprendizado, o sentimento de pertencimento.

Corpo D’água

9min53seg, Documentário, Direção coletiva, Maceió

Da fluidez das águas do Rio Mundaú, a lagoa-mãe dos ribeirinhos verteu e se fez laguna, delineando em suas margens uma região que emerge em várias nuances, da calmaria ao caos. Entremeio às transformações, a lagoa tem seu lugar de fala. Suas memórias e cicatrizes, adquiridas com o tempo, persistem e despertam nas lembranças de seus habitantes, reescrevendo a biografia de uma urbe a se desenvolver em conflito com uma natureza frágil.

Mané

11min20seg, Documentário, Direção coletiva, Coruripe

Em meio as saias coloridas, chapéus e véus, homens e mulheres, adultos e crianças, percorrem as ruas do Poxim, ao som do pífano, chocalhos e gritos dos palhaços, atraindo os olhares curiosos que acompanham o grupo até o adro da pequena igreja. Mais de 300 anos de tradição, mantida pela família de Dona Traíra, mestre do folguedo e patrimônio vivo do estado.

Nêga da Costa 

15min33seg, Documentário, Joelson de Oliveira, Quebrangulo

Em Quebrangulo, terra marcada por conflitos, na época da escravidão os senhores assediavam suas escravas, que eram escolhidas nas noites de festas enquanto dançavam ao som de tambores. Quando os homens negros começaram a se vestir com roupas de mulheres para confundir seus senhores, nasceu a Nêga da Costa.

O Ebanista da Beira Mar 

4min52seg, Documentário, Celso Brandão, Maceió

Diante da falta de trabalho generalizada, ex pescador e marceneiro qualificado volta para a natureza circundante, reinventando sua forma de subsistência e expressão.

A Barca

19min43seg, Ficção, Nilton Resende, Maceió

Na noite de Natal, duas mulheres travam um diálogo dentro de uma barca, enquanto ela desliza por sobre as águas de uma lagoa escura e gelada. Um acontecimento inesperado deixará sua marca no término dessa travessia.

12 DE DEZEMBRO

08h – Salto no Vazio

Oficina de Des/Programação de Atores para Cinema com Flávio Rabelo na Casa Sede

14h – Ambiente de Mercado

Master Class – Formatação de projetos executivos para cinema, trabalhando com o case de Café com Canela com Daniela Fernandes no Teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara

15h – Encontro Animal – Animadores de Alagoas

Exibição de animações e bate-papo com realizadores, com mediação de Maurício Nunes no Cinema do Centro Cultural Arte Pajuçara.

19h – Mostra Oficial no Centro Cultural Arte Pajuçara

20h30 – Debate com os realizadores no Centro Cultural Arte Pajuçara

Videoclipes:

Hides in the light

4min40seg, Mayash

Plataforma

2min27seg, Jorg

Filmes: 

De água e de reza 

10min58seg, Documentário, Rodrigo Barros Gewehr, Maceió

O filme traz narrativas de Rosa, Mazé e Firmina, rezadeiras da região de Água Branca, no alto sertão das Alagoas. Três mulheres que fazem das palavras e de suas gestualidades uma terapêutica para quem as procuram.

O homem das coisas 

13min16seg, Documentário, Direção Coletiva, Arapiraca

Seu Edvaldo gosta de coisas antigas.

Tambor ou Bola

24min, Documentário, Sérgio Onofre, Maceió

Inspirado na trajetória do músico e percussionista alagoano, Wilson Santos, o filme reconstrói a trajetória de vida do fundador da Orquestra de Tambores de Alagoas, personagem que dedicou e dedica, parte de sua vida à música e ao trabalho de difusão da percussão popular como ferramenta para inserção social de jovens da periferia.

Caminhando e Cantando 

03min10seg, Documentário, Júlia Maria, Palmeira dos Índios

Nascido no dia do músico, Francisco Alves é um reciclador que encanta as pessoas com sua linda voz enquanto busca o sustento da sua família através das coisas que encontra pelas ruas. Apesar da imensa dificuldade econômica, Francisco acredita que a música o ajuda a ser um homem melhor e mais feliz.

O Poeta do Barro Vermelho

6min, Animação, Matheus Nobre, Maceió

Neste sarau animado, o ativista ambiental Toinho Pescador nos conta, através de seus versos, um pouco sobre sua história e de sua cidade, alertando-nos, num contexto mais atual do que nunca, sobre como nossas ações impactam a natureza e nós mesmos.

O Branco da Raiz 

23min44seg, Documentário, Anderson Barbosa, Marechal Deodoro

Uma vez por ano, uma família se reúne e desafia o tempo para plantar, colher e produzir artesanalmente farinha de mandioca no interior de Alagoas. Um alimento que é a base da cultura brasileira e as raízes de um povo. Uma tradição silenciosa que pouco a pouco alcança seu fim.

13 DE DEZEMBRO

08h – Salto no Vazio

Oficina de Des/Programação de Atores para Cinema com Flávio Rabelo na Casa Sede

14h – Ambiente de Mercado

Master Class – Distribuição e exibição com Letícia Santinon no Teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara

19h – Mostra Oficial no Centro Cultural Arte Pajuçara

20h30 – Debate com os realizadores no Centro Cultural Arte Pajuçara

Videoclipes

Flores Amarelas

3min35seg, LoreB

Vida de Ninguém

4min, Pure Hate

Filmes: 

Mãos de Sangue

2min, Experimental, Fabrício Medeiros, Maceió

A maldição de sangue é um evento relatado em Mateus 27:24-25. Após julgar Jesus, Pôncio Pilatos condena-o à morte, mas antes lava as mãos e afirma que a culpa decorrente deste ato recairá sobre a população (judeus). A maldição é a famosa frase onde, aparentemente, ocorre a aceitação da responsabilidade pela morte de Jesus. “O sangue dele caia sobre nós e sobre nossos filhos”.(Mateus 27:25).

Vamos ficar sozinhas 

17min50seg, Ficção, Leonardo A. Amorim, Maceió

Elis e Luísa, duas amigas que se distanciaram após terminarem a escola, reencontram-se na festa de reunião da turma.

Herdeiras 

7min51seg, Ficção, Robson Cavalcante, Teotônio Vilela

No interior do nordeste brasileiro, quatro mulheres donas de casa realizam seus afazeres domésticos de um jeito mágico.

Ana Terra 

20min, Documentário, Direção Coletiva, Arapiraca

Em Ana existem caminhos irregulares por onde se percorrem, não sabendo por onde será levada, nem onde realmente começa. Seus caminhos distraem e ocultam, feito um labirinto de cores e imagens.

Colapsar

12min, Experimental, Direção Coletiva, Maceió

Colapsar a norma, problematizar corpos invisíveis.

Alano

22min37seg, Ficção, Silvio Leal, Maceió

Os personagens metaforizam os contrastes sociais que paradoxalmente unem-se nas possibilidades que a noite oferece. Na narrativa, o desejo assume o papel central para realçar as desigualdades e suas inevitáveis consequências, como a solidão, tema que também aparece com imensa força.

14 DE DEZEMBRO

14h – Ambiente de Mercado

Mesa de Encerramento – O desafio de construir um grande circuito  de difusão para o cinema independente com Mônica Bulgari – SP, Marcos Sampaio – AL, Glauber Xavier – AL, João Brasil – SE com mediação de Nataska Conrado no Teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara

19h – Mostra Oficial no Centro Cultural  Arte Pajuçara

20h30 – Debate com os realizadores no Centro Cultural Arte Pajuçara

23h – SururuBar no Rex Jazz Bar

Videoclipes

Nas quebradas do boi

3min55seg, Tequilla Bomb

Naturalmente Cai

04min, Rico Jorge

Filmes: 

Janela

29min, Ficção, Daniel Milano e Michael Leite, Maceió

Envolvida em uma vida estressante, Juliana decide ir ao mundo dos sonhos e saberes, a biblioteca, procurando uma nova forma de ver a realidade.

Essas Coisas de Cinema 

11min43seg, Documentário, Beatriz Vilela, Maceió

Um grupo de crianças da periferia de Maceió ganha alguns filmes em DVD, mas ele não tem o aparelho para assisti-los. Então eles recorrem a Bia, uma moradora da vila. O que eles não imaginavam é que ela participa de um cineclube e mexe com essas coisas de cinema. Diante da empolgação da criançada, Bia convida seus amigos cineclubistas e, juntos, transformam o oitão da Vila Dantas em um verdadeiro cinema de rua, recriando a magia do cinema.

Trincheira 

14min26seg, Ficção, Paulo Silver, Maceió

Num aterro de lixo, um garoto observa o imponente muro de um condomínio de luxo. Gabriel usa de sua imaginação para construir seu mundo fantástico.

Aula de Hoje

16min, Documentário, Dário Júnior, Maceió

Ângela, uma professora de geografia moradora do vale do Reginaldo – grota situada na cidade de Maceió – usa o cinema como principal recurso didático. 30 após sua estreia,  o curta-metragem Ilha das flores ainda se mostra atual.

Ilhas de Calor

20min, Ficção, Ulisses Arthur, Viçosa

O amor explodiu

Dentro de uma das Torres Gêmeas

E agora voa no ar como poeira.

Procurar por ele é o mesmo

que procurar piolho em

cabeça de cobra

Ou cabelo em casca de ovo

O que sinto agora

Já não sei o nome.

Entre nós há um buraco profundo

Como crateras no oceano

Somos ilhas de calor

De duas cidades longes

De lados diferentes do mundo.

Fabrício, 8ª Série.


15 DE DEZEMBRO

14h – Reunião do FSAL no Centro Cultural Arte Pajuçara

19h  Sessão Homenagem e Cerimônia de Premiação no Centro Cultural Arte Pajuçara

Lançamento do filme “O Cortejo” de Flávia Correia, Marianna Bernardes e Rafhael Barbosa

20h30 – Encerramento

Com DJ, caldo de sururu e cachaças alagoanas

Filme convidado:

O Cortejo 

24min10seg, Documentário, Flávia Correia, Marianna Bernardes e Rafhael Barbosa, Maceió

O que fazer com as perguntas que não têm respostas? Do que são feitos os mistérios? Para onde vão as nossas perdas? Para onde a ausência pode nos levar?

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas