Propaganda da Bombril com Ivete Sangalo é alvo de processo no Conar por discriminação de gênero

Uma propaganda da Bombril com a presença de Ivete Sangalo, Dani Calabresa e Monica Iozzi é alvo de processo no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar). O anúncio — em que a cantora e as humoristas ironizam os homens — é acusado de “discriminação de gênero” e até mesmo de “deboche da figura masculina”. Até […]

Propaganda da Bombril com Ivete Sangalo é alvo de processo no Conar por discriminação de gênero

Uma propaganda da Bombril com a presença de Ivete Sangalo, Dani Calabresa e Monica Iozzi é alvo de processo no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar). O anúncio — em que a cantora e as humoristas ironizam os homens — é acusado de “discriminação de gênero” e até mesmo de “deboche da figura masculina”. Até quarta-feira, o Conar recebeu 15 denúncias sobre o assunto.

As informações foram publicadas pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo. No anúncio, o trio diz que toda brasileira é uma diva. Ivete elogia as mulheres, e Dani Calabresa cita os homens. A cantora completa: “Esses daí nem com todos os produtos da Bombril para ajudar na casa”. Calabresa completa que não é possível comparar os dois sexos e brinca que “toda mulher é uma diva, e todo homem é ‘diva-gar’ (devagar)”.

Procurada, a Bombril esclareceu “que a campanha Toda Brasileira é uma Diva foi estrategicamente desenvolvida para valorizar o protagonismo feminino”. De acordo com a marca, o “vídeo Comparação usa uma linguagem bem-humorada para ressaltar o valor da mulher na sociedade brasileira e não tem a intenção de ofender os homens ao fazer uma brincadeira com a palavra diva”.


Casos anteriores

Outras campanhas da marca também foram parar no Conar, mas acabaram arquivadas. Em 2011, os anúncios também estrelados por Iozzi e Calabresa, só que na companhia de Marisa Orth, foram alvos de denúncias por fazer uma comparação entre homens e cachorros. O processo foi arquivado, e a campanha continuou a ser veiculada normalmente.

Em 2013, mais de quarenta consumidores escreveram ao Conar considerando que outra campanha da marca com a participação das comediantes era desrespeitosa à figura masculina. A decisão também foi pelo arquivamento.


Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade