Psicóloga orienta para comportamento nas confraternizações

O mês de dezembro, além de comemorar as festas de final do ano, também é o período em que as empresas costumam confraternizar com os funcionários. Em clima de celebração e festejos, muitas pessoas acabam se excedendo, exageram nas bebidas e nas brincadeiras, o que pode prejudicar a sua carreira dentro da empresa e, até […]

Psicóloga orienta para comportamento nas confraternizações

O mês de dezembro, além de comemorar as festas de final do ano, também é o período em que as empresas costumam confraternizar com os funcionários. Em clima de celebração e festejos, muitas pessoas acabam se excedendo, exageram nas bebidas e nas brincadeiras, o que pode prejudicar a sua carreira dentro da empresa e, até mesmo, causar a perda do emprego. 

De acordo com a psicóloga do Hapvida Saúde, Lívia Vieira, é fundamental que as pessoas tenham consciência de seus atos e de que estão sendo observadas constantemente. “Em confraternizações de empresa, o indivíduo precisa levar em conta que qualquer ato errado pode lhe acarretar consequências irreversíveis.” 

Por causa disso, é necessário que os funcionários mantenham um comportamento adequado para a situação, sem exceder na ingestão de bebidas alcoólicas e nas brincadeiras de mal gosto. No entanto, caso uma situação de constrangimento aconteça durante a confraternização, a psicóloga orienta a assumir o erro. A especialista explica que esse comportamento deve ser seguido também pelas pessoas que ocupam cargos de chefia, tendo em vista que a exigência com elas é ainda maior. 

“A pessoa precisa ser autossuficiente para assumir o erro e as consequências. Talvez em reunião com a equipe ou se redimir de forma individualizada, se retratar, pedir desculpas e garantir que o deslize não se repetirá. É necessário demonstrar a competência e profissionalismo, e realizar o trabalho de forma digna”, recomenda.

 

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade