Recordista mundial em apneia, russa desaparece ao mergulhar na Espanha

Chances de encontrar Natalia Molchanova com vida são remotas. "Parece que ela ficará no mar. Eu acho que ela iria gostar", diz Alexey, filho da estrela do mergulho

Recordista mundial em apneia, russa desaparece ao mergulhar na Espanha

Considerada uma das melhores atletas de mergulho livre da história e recordista mundial em diversas categorias da apneia, a russa Natalia Molchanova está desaparecida desde domingo, quando saiu para mergulhar em Formentera, perto de Ibiza, na Espanha. Equipes de emergência e uma companhia privada procuram pela mergulhadora com o auxílio de um robô na região das Ilhas Baleares. De acordo com a imprensa local, as buscas estão sendo feitas nas áreas próximas à praia de Illetes, onde estava a embarcação da atleta. Membros de um grupo especial de resgate submarino e da guarda municipal fazem as buscas há dois dias.

Molchanova, de 53 anos, escolheu um domingo ensolarado e sem vento, apenas com uma leve brisa no ar, para praticar o mergulho livre no Mar Mediterrâneo com três mergulhadores. Foram os amigos que alertaram as esquipes de resgate sobre o desaparecimento da atleta. Após dias intensos de procura, as expectativas de encontrá-la com vida são remotas.

– Ela era uma estrela do mergulho livre e todos nós pensamos que nada de mal poderia atingi-la. Nada poderia lhe acontecer, mas, você sabe, estamos lidando com o mar, e quando brincamos com o mar, você sabe quem é o mais forte – disse Kimmo Lahtinen, presidente da AIDA, Federação Internacional de Mergulho Livre, em uma entrevista ao New York Times.  

– O mundo perdeu uma de duas melhores mergulhadoras – revelou Will Trubridge, dono de 11 recordes mundiais no esporte, ao jornal americano.

Filho de Natalia Molchanova, Alexey, que também é mergulhador profissional, disse ao New York Times que não espera reencontrar a mãe viva, mas acredita que ela estaria feliz no mar.

– Parece que ela ficará no mar. Eu acho que ela iria gostar disso. 

A mergulhadora russa é campeã mundial em sete categorias reconhecidas pela Associação Internacional para o Desenvolvimento da Apneia (AIDA). O seu recorde mais recente foi obtido no dia 13 de maio, em Dahab, no Egito, quando a atleta atingiu 71 metros de profundidade. 

 

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade