Rodrigo Teaser apresenta ‘Tributo ao rei do pop”, em Maceió, na próxima sexta-feira (20)

Espetáculo em homenagem a Michael Jackson trará clássicos como "Billie Jean", "Thriller", "Beat it", "Smooth Criminal" e "Black or White".

Janaina Ribeiro - Repórter

Rodrigo Teaser apresenta ‘Tributo ao rei do pop”, em Maceió, na próxima sexta-feira (20)

Ele é considerado um dos maiores covers do rei do pop. Desde os 9 anos, Rodrigo Teaser imita as performances de Michael Jackson e, aquilo que começou como brincadeira, nas festas de família, tornou-se o maior compromisso profissional do artista.

E seu talento é inegável, tanto que já foi reconhecido pela Sony Music, a gravadora de MJ desde os anos 90. E quando Rodrigo dança, aí que fica mais perceptível a sua relação com o astro estadunidense. É que Lavelle Smith Jr., coreógrafo de Michael Jackson, também passou a assinar os passos que acompanham Teaser durante os espetáculos pelos quatro cantos do país.

E o #Notícias40Graus, claro, bateu um papo com Rodrigo Teaser. Confira, abaixo, como foi essa conversa!

1. Você conta que, ainda criança, já fazia performances imitando Michael Jackson. Como se tornou fã desse artista norte-americano?

Era o auge dos anos 80. Michael era um dos assuntos mais comentados na Tv, rádio, festas… Sem que eu notasse, já gostava das canções. Minha mãe diz que eu era muito pequeno e pedia pra ouvir.

2. E foi também muito novo que você começou a se apresentar como cover dele. Como foi esse início?

Pra mim era tudo uma brincadeira… Dançava para as visitas, depois, comecei a dançar nas festas e a me vestir como o MJ. Era algo muito natural. Eu não fazia ideia de que aquilo poderia se tornar sério um dia.

3. E além de cantar, você, claro, também dança, colocando no palco vários dos seus talentos. Inclusive, algumas coreografias têm assinatura do Lavelle Smith Jr., que foi coreógrafo por anos do próprio Micheal Jackson. Como se deu esse encontro de vocês?

Foi de uma forma muito despretensiosa. Como fã, mandei mensagem pra alguns membros da equipe do MJ, agradecendo a contribuição deles ao trabalho do Michael. Daí, um certo tempo depois, o Lavelle me respondeu, e eu mandei vídeo do nosso show. Ele gostou e quis se inteirar mais a respeito da produção. Daí foi que surgiu a ideia dele vir me dirigir e dividir com a gente toda experiência que havia adquirido com as turnês do MJ.

4. Em 2003, você foi o brasileiro escolhido para representar a América Latina no show “30th Years of Magic”, em homenagem a Michael Jackson, em Nova Iorque, onde o próprio artista esteve presente. Houve, de fato, essa apresentação?

Essa apresentação não aconteceu. Isso se tornou a maior frustração da minha vida. Fui o único artista latino-americano convidado, mas não me deram o visto. Infelizmente.

5. A qualidade do seu trabalho foi considerada inquestionável pela Sony Music, empresa que atualmente apresenta o maior show do mundo em tributo ao astro do pop. Conta pra gente como foi isso…

Na verdade a Sony é a gravadora do MJ, a casa da música dele desde os anos 80. Ter de alguma forma um reconhecimento do que faço em homenagem a ele é uma honra. Saber que eles têm conhecimento e gostam do que eu faço e entendem o meu respeito pelo Michel é algo muito especial.

6. E por falar em qualidade, Michael Jackson continua sendo uma das figuras culturais mais importantes do século XX e um dos maiores artistas da história da música mundial. Como você encara a responsabilidade de ser um dos seus covers? Afinal, ao longo de todos esses seus anos de trabalho, milhares de pessoas fãs do artista já foram te assistir Brasil afora, né?

Pra mim, o valor artístico e histórico do MJ nunca será questionável ou terá fim. Tanto isso é verdade que muitos artistas “bebem” dessa fonte inesgotável de talento dele. Justin Timberlake, Bruno Mars, The Weeknd, Beyonce, Lady Gaga são apenas alguns dos artistas que assumem a influência do MJ em suas obras. Por isso, poder fazer um tributo ao MJ, levando adiante suas criações é, sem dúvida alguma, uma honra.

7. No “Tributo ao Rei do Pop”, há, grandes clássicos como “Billie Jean”, “Thriller”, “Beat it”, “Smooth Criminal” e “Black or White”. Tem algum momento do espetáculo que você gosta mais, que considera mais bacana?

O público se identifica com partes diferentes porque cada momento traz um sentimento diferente. Eu, particularmente, gosto muito de momentos como Human Nature, Rock With You e Billie Jean, que considero as partes mais especiais porque elas se conectam mais com o público.

8. E, para concluirmos, o que o público alagoano pode esperar dessa turnê?

Pode esperar um show com muita música, dança e uma grande celebração que respeita todos os aspectos criativos do MJ. Sem falar que é um show que traz a oportunidade de reunir pessoas que sentem amor e saudade do maior artista que o mundo já vi. E esse encontro se dá de forma leve e cheio de sentimento.

Serviço:

O quê: TRIBUTO AO REI DO POP

Onde: Teatro Gustavo Leitem

Quando: 20 de dezembro, às 21 horas

Ingressos: Viva Alagoas e Folia Brasil ou ingressodigital.com

Maiores informações: (82) 99909-6957.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas