Seis anos de Papel no Varal: poesia desfolhada aos quatro ventos

“Eu canto porque o instante existe/ e minha vida está completa/ não sou alegre nem sou triste: / sou poeta. (…)” Com os versos de Cecília Meireles definindo o ser poeta, Ricardo Cabús abriu o palco do Orákulo Chopperia à poesia, para comemorar mais um ano do Papel no Varal. A noite começou com regras […]

Seis anos de Papel no Varal: poesia desfolhada aos quatro ventos

“Eu canto porque o instante existe/ e minha vida está completa/ não sou alegre nem sou triste: / sou poeta. (…)” Com os versos de Cecília Meireles definindo o ser poeta, Ricardo Cabús abriu o palco do Orákulo Chopperia à poesia, para comemorar mais um ano do Papel no Varal.

A noite começou com regras sendo quebradas: não havia os tradicionais 100 poemas de 100 autores pendurados no varal, a festa contou com 150 poemas expostos aos olhos e ouvidos do público. Mas o motivo para transgressão foi nobre e trouxe grande alegria à equipe que faz o Papel no Varal: buscando os poemas mais lidos em seis anos de história, não houve alternativa a não ser aumentar o número de papéis pendurados no sisal.

A noite contou com participações especiais de diversos músicos que fazem parte da trajetória do projeto, como Gustavo Gomes, Ícaro Coutinho, Igbonan Rocha, Altair Rodrigues, Geraldo Benson, João Albrecht e Rosa Predes. Além das canções, alguns ainda aventuraram-se ao palco com leituras.

Os já consagrados atores José Márcio Passos e Paulo Poeta, assim como a cantora Elisa Lemos, fizeram declamações especiais. O público, de todas as idades, também não ficou de fora, sendo o responsável pelo maior presente deste aniversário: não permitir o palco vazio um instante sequer. Havia de habituais frequentadores a estreantes, espalhando aos quatro ventos a poesia que o Papel no Varal desfolha.

As palavras de Alberto Antunes, 25 anos, empresário, que compareceu pela primeira vez ao evento, atestam que o objetivo principal do Papel no Varal vem sido cumprido, ele diz que “Foi um encontro diferente, libertário. Um momento onde todos podem ser protagonistas, todos são os artistas principais da noite. É refletir pensamentos e provocações sobre a vida.”

Em homenagem à data, o Instituto Lumeeiro firmou parcerias com diversos apoiadores do evento e lançou o programa Amigo do Papel no Varal, que consiste na aquisição de uma carteirinha de “sócio-torcedor” da poesia e dá uma série de vantagens a seu portador para compras nas empresas parceiras e participação nos eventos do Lumeeiro.

Foi nesse clima de comemoração, alegria e descontração que o Papel no Varal festejou seis anos de história em uma reunião de amigos antigos e novos, que se encontram a cada edição para ler, ouvir e celebrar a poesia.


Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas