VK, o 'novo Orkut', vira febre e já tem mais de 340 mil brasileiros

Dias depois do anúncio do fim do Orkut, usuários da rede social do Google encontraram um jeito para não perder completamente suas comunidades e contatos cultivados ao longo dos dez anos do serviço. Alguns brasileiros começaram a criar contas no VKontakte, ou simplesmente VK, uma rede social bastante completa, conhecida também como 'Facebook russo' com mais de 260 milhões cadastrados. […]

VK, o 'novo Orkut', vira febre e já tem mais de 340 mil brasileiros

Dias depois do anúncio do fim do Orkut, usuários da rede social do Google encontraram um jeito para não perder completamente suas comunidades e contatos cultivados ao longo dos dez anos do serviço. Alguns brasileiros começaram a criar contas no VKontakte, ou simplesmente VK, uma rede social bastante completa, conhecida também como 'Facebook russo' com mais de 260 milhões cadastrados.

A notícia do fim do Orkut fez o VK, que também tem comunidades virtuais, se tornar ainda mais conhecido, o que levou muita gente a testar o serviço. Foi o que aconteceu com a estudante Caroline Fagundes, de 17 anos. A jovem de Rio Verde, Goiás, diz que os elogios publicados por amigos e contatos no Facebook foram decisivos na hora de criar sua conta no VK.

A similaridade com o Orkut também facilitou o uso. “Após poucas horas no VK fiquei bem feliz com o desempenho e me senti bastante familiarizada com a interface”, conta.

O desenhista Tiago Fernandes, de 32 anos, também citou a semelhança com a rede social do Google como fator decisivo na hora de entrar no serviço e criar um perfil. “Aqui [o VK] se assemelha bastante ao Orkut e tem as comunidades”, compara.

Para o rapaz de Campinas, São Paulo, quem utiliza as comunidades do Orkut vai preferir o VK ao Facebook. “O Facebook não tem o sistema de fórum nos grupos. A gente se perde. Se eu me afastar de lá por um mês, perco tudo do grupo”, explica.

Tiago também cita a privacidade como um dos pontos-chave no serviço que deve suceder o Orkut na sua preferência. Para ele, redes como o Facebook mostram pouca preocupação com o tema.

“No Facebook aparece tudo o que a gente faz, chamo aquela barra acima do chat de fofoca. Os amigos dos amigos, com quem nem tenho contato, veem tudo. O Orkut e o VK não têm isso. Se eu curtir ou comentar algo nem todo mundo vai ver o que eu faço”, pontua.

Apesar da ter apreciado a rede social russa, Tiago ainda questiona a decisão do Google de finalizar sua plataforma de relacionamento. “Fiquei desolado quando soube [da decisão]. Como pode o Google querer acabar assim com uma rede que tem toda uma história e muita gente que a usa?”, indaga.

Já Caroline vê o fim do Orkut e a corrida para o VK de forma positiva. “Minhas expectativas são grandes, [a rede] tem um potencial de crescimento enorme e tudo para haver uma migração em massa como ocorreu anos atrás para o Facebook”, projeta.

Quem também crê nisso é a estudante de Direito, Emanuelle Garcia. A jovem de Itueta, Minas Gerais, é pragmática ao afirmar que o Orkut teve sua boa fase, mas que agora é momento de seguir em frente. 

“O Orkut ficou marcado por ser a primeira rede social de muitos, as pessoas se preocupavam menos com o que iriam postar visto que as redes sociais não tinham a mesma dimensão que tem hoje”, afirma.

Para as duas jovens, entrar numa rede social com predominância de estrangeiros é a chance de fazer amizades e conhecer novas pessoas. Caroline diz que em poucos dias com perfil ativo no VK já fez amizades que ela considera “bastante peculiares”. “Alguns são russos e dois da Argélia, além dos brasileiros. A receptividade de todos foi notória”, conta animadamente. Emanuelle contou que foi adicionada por pessoas desconhecidas. “Estamos nos conhecendo e está sendo divertido”, afirmou.

Invasão verde e amarela

Os brasileiros já somam mais de 340 mil usuários no serviço que é conhecido como o “Orkut russo” e tem uma interface similar ao famoso site do Google. A chegada brasileiros fez com que o VK aperfeiçoasse a rede com novas funções e melhorasse o sistema de apresentações de comunidades e páginas públicas.

O porta-voz da rede, Georgy Lobushkin, informou ao TechTudo que a equipe de suporte do site passou a contar com funcionários fluentes em português do Brasil.

No VKontakte é possível compartilhar fotos, atualizar status e publicar links. A presença de comunidades é a maior semelhança entre a rede russa e o Orkut. Ela funcionam como grupos com comunidades descentralizadas à la fórum de discussão e também como páginas públicas.

 

 

 


Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade