CIA Fulô de Mandacaru, de Arapiraca, é atração do 6º vídeo do Teatro Deodoro é o Maior Barato Edição Especial

Grupo conta sua história e apresenta trechos de espetáculos selecionados no edital do TDMB

CIA Fulô de Mandacaru, de Arapiraca, é atração do 6º vídeo do Teatro Deodoro é o Maior Barato Edição Especial

Buscando difundir a cultura nordestina nos palcos, a CIA Fulô de Mandacaru foi criada pelos atores Ítalo Souza, Jacyara Oliveira e Henrique Silva, em 2016, na cidade de Arapiraca. Este ano, o grupo se inscreveu no edital do Teatro Deodoro é o Maior Barato e foi contemplado com dois espetáculos. Seria o momento de realizar um sonho: se apresentar neste palco centenário.

Os planos foram adiados para 2021 por causa da pandemia da Covid-19, mas o público pode conhecer um pouco do trabalho do grupo no 6º vídeo da série Teatro Deodoro é o Maior Barato Edição Especial no canal do teatro no Youtube pelo link: https://www.youtube.com/watch?v=_Wo8Vt0XbkM

No vídeo, os atores contam a história da CIA e encenam trechos dos dois espetáculos selecionados no projeto: O segredo da filha do Coroné, texto de Jacyara Oliveira, direção de Epitácio Ítalo Santos, que também compõe o elenco com Israel Henrique da Silva, Sâmara Cavalcante Rocha, Roberto Luiz Quintella Tenório, Denis da Silva e José Osvaldo de Oliveira; e Dois Perdidos numa noite suja, texto de Plínio Marcos, direção de Epitácio Ítalo Santos e elenco formado por Israel Henrique da Silva e Denis da Silva.

“A Companhia Fulô de Mandacaru, diferentemente das outras, foi fundada depois de já ter um texto próprio, que foi desenvolvido pela amiga irmã, Jacyara Oliveira, com colaboração minha, em 2016. A gente começou a escrever via telefone. Por volta de maio, a gente começou a chamar o elenco e montar a companhia. O primeiro contato foi com Henrique Avlis. A gente teve todo cuidado de montar o elenco, chamamos pessoas que não eram tão conhecidas no teatro, com talento enorme, mas que não tinham tanta oportunidade na cidade, no momento. Quando apresentamos o texto, todo mundo se apaixonou pela história e comprou a ideia. Em agosto, fomos selecionados no Aldeia Sesc, a nossa estreia foi nesse festival, em Arapiraca. Depois disso, a companhia rodou por Penedo, Maceió, fizemos mais de 20 apresentações em dois anos”, conta o ator e diretor, Ítalo Souza, no vídeo.

No TDMB, a CIA estaria em cartaz na estreia do projeto, em 01/04, e no dia 15/04. A 21ª edição do projeto mais tradicional da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal) ficou para o ano que vem, mas ganhou versão especial online este ano com 13 vídeos das atrações adiadas no palco. As estreias ocorrem sempre às terças e quintas-feiras, às 8h, no Youtube, até 12/11.

“Tem sido um prazer fazer parte da CIA Fulô, tanto atuando, quanto na produção dos espetáculos, pensando em outras ideias. Depois de se apresentar algumas vezes em Arapiraca e em Penedo, a gente tentou passar na seleção do Teatro Deodoro é o Maior Barato e conseguiu. A sensação de estar no palco do Teatro Deodoro é uma honra, somos de Arapiraca e conseguir chegar aqui é motivo de muito orgulho. Para todo o elenco, é uma oportunidade de mostrar o talento. A gente agradece à Diteal por todo o carinho e possibilidade que estão nos dando”, diz a atriz e coordenadora de Marketing da CIA, Jaqueline Tavares.

O ator e presidente da CIA, Henrique Avlis complementa: “Nós estamos sempre produzindo cultura, levamos também espetáculos infantis, trabalhamos com peças de fora. Entre essas produções, tem o teatro de rua para levar cultura a quem mais precisa, trazemos para nós essa harmonia e sempre temos esse lugar que nos foi colocado”, revela.

Finalizando as entrevistas, Dênys Silva, ator convidado, fala: “O legal dessa CIA é que eles procuram logo criar todo o projeto, ensaiar, para depois divulgar. Um texto muito especial, com ele (Dois perdidos numa noite suja) consegui fazer parte do Aldeia Sesc e estar aqui no Teatro Deodoro, que é o sonho de todo ator. Então, sou muito grato a todos da CIA”.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas