Covid-19: infectados podem apresentar sintomas neurológicos, diz estudo

Em casos mais leves, pacientes apresentam dores de cabeça e tonturas; sintomas mais graves incluem perda de olfato e paladar, fraqueza muscular e até convulsões

Olhar Digital / Luiz Nogueira, editado por Fabiana Rolfini

Covid-19: infectados podem apresentar sintomas neurológicos, diz estudo

À medida que os casos de Covid-19 começam a crescer no mundo, especialistas apontam para a existência de sintomas bastante incomuns, como é o caso de alguns sinais neurológicos observados em pacientes.

Na maioria das pessoas, a doença se manifesta como uma infecção respiratória que causa febre, dores, cansaço, tosse e, em casos mais sérios, falta de ar. No entanto, segundo especialistas, o vírus também pode infectar células fora do trato respiratório.

De acordo com um artigo, escrito por Jeremy Rossman, professor em virologia e Presidente da Research-Aid Networks, que analisou diversos estudos sobre o tema, alguns pacientes apresentam uma ampla gama de sintomas, como doenças gastrointestinais, possíveis problemas de coração e até distúrbios relacionados a coagulação do sangue. Mas, além disso, sintomas neurológicos também podem ser adicionados à lista.

Estudos recentes descrevem que pacientes da Covid-19, em casos bem raros, podem sofrer com a síndrome de Guillain-Barré, que ocorre quando o sistema imunológico responde a uma infecção e acaba atacando erroneamente as células nervosas, resultando em fraqueza muscular e, eventualmente, paralisia.

Outras pesquisas apontam casos de infecção que tiveram encefalite, uma inflamação do cérebro, além de acidente vascular cerebral em pessoas jovens e saudáveis.

Causa dos sintomas

O novo coronavírus pode causar esses distúrbios neurológicos como resultado da forte ativação do sistema imunológico. Em alguns casos, especialistas ainda apontam que ele pode infectar os neurônios humanos, causando os sintomas. Também foi sugerido que a infecção dos neurônios olfativos pode permitir que o vírus se espalhe do trato respiratório para o cérebro.

As células do cérebro humano possuem a proteína ACE2 em sua superfície. A ACE2 está envolvida na regulação da pressão arterial e é o receptor que o vírus usa para entrar e infectar células.

O ACE2 também é encontrado nas células endoteliais que revestem os vasos sanguíneos. A infecção das endoteliais pode permitir que o vírus passe do trato respiratório para o sangue e depois atravesse a barreira hematoencefálica para o cérebro. Uma vez lá, sua replicação pode causar distúrbios neurológicos.

Vírus que afetam o cérebro

O Sars-Cov-2 não é o único vírus respiratório que pode infectar o cérebro. Outros coronavírus também podem fazer o mesmo, como é o caso do Hcov-Oc43. Ele causa sintomas respiratórios muito leves, mas também pode provocar encefalite. Da mesma forma, o coronavírus que ocasiona Mers e o vírus Sars podem desenvolver distúrbios neurológicos graves.

Felizmente, vírus respiratórios que afetam o cérebro são uma ocorrência rara. Porém, com milhões de infectados pela Covid-19 em todo o mundo, existe o risco da doença se manifestar neurologicamente, especialmente em casos mais graves.

Via: The Conversation

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas