Cresce mercado de franchising e empresas alagoanas se destacam dentro e fora do Brasil

Aqui em Alagoas, os números acompanham o bom desempenho nacional e mostram que, num rápido comparativo entre o 1º trimestre do ano passado e os três primeiros meses de 2019, o setor avançou de maneira considerável em mais de 8%.

Janaina Ribeiro / Repórter

Cresce mercado de  franchising e empresas alagoanas se destacam dentro e fora do Brasil Miguel Teixeira, sócio-fundador do Açaí Concept e da Concept Franshising.

Alagoas tem se destacado no cenário nacional no mercado de franchising e esse é o principal sinal de que os empreendedores têm buscado aquela opção de negócio que lhes dê maior segurança. Os ramos de alimentação e moda, saúde e bem estar disparam como os mais lucrativos e que têm a preferência dos franqueados, sejam essas empresas genuinamente alagoanas ou não. O #Notícias40Graus conversou com alguns desses empresários e mostra, nesta reportagem especial, cases de sucesso que estão crescendo cada vez mais, inclusive, exportando know how para os mais diferentes estados brasileiros e até para outros países.

De uma forma mais simples e resumida, o franchising é um modelo de negócio que consiste na concessão do direito de uso fornecida pelo proprietário de uma marca (franqueador) a um investidor (franqueado) para que ele possa replicar em variados locais um formato reconhecido e bem sucedido de exploração de mercado. E esse negócio pode ser uma marca, um serviço, um produto ou até mesmo um conceito, já que as franquias abrangem diversos segmentos de mercado e têm como principal característica a padronização. 

No Brasil, esse é um dos ramos que mais cresce, tendo alcançado, em 2018, um aumento no faturamento das lojas de aproximadamente 7%. Em Alagoas, os números acompanham o desempenho nacional e mostram que, num rápido comparativo entre o 1º trimestre do ano passado e os três primeiros meses de 2019, o setor avançou de maneira considerável.

Presidente da Associação Brasileira de Franchising, Leonardo Lamartine.

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), entre janeiro e março de 2018 havia 278 redes instaladas aqui no estado. Já no mesmo período, só que de 2019, esse quantitativo aumentou para 299, ou seja, um crescimento de 8%. E o mesmo método comparativo serve para a quantidade de lojas abertas: o número saltou de 834 para 884. Desse total, cerca de 20 são nascidas aqui em Alagoas.

O presidente da ABF, Leonardo Lamartine, confirma que o mercado de franshising é o que mais tem crescido no Brasil e que essa evolução ocorre nos mais variados segmentos. O ramo de alimentação é o maior, com 28,3% do mercado. Na sequência, vem o de saúde, com outros 25,3%. Depois, seguem o da moda, com 14,%, casa e construção, com 7,9%, e serviços educacionais, com 7,4%. O menor, por enquanto, é o de entretenimento e lazer, que ocupa a fatia de 0,5%”, detalhou.

Açaí Concept

A rede Açaí Concept se tornou a maior franquia de açaí do mundo e já possui lojas distribuídas em todo os estados brasileiros e ainda em mais oito países: Estados Unidos, Portugal, Espanha, Suíça, Argentina, Chile, Equador e Canadá. “Ao todo, são mais de 300 franqueados espalhados nas Américas e na Europa. E seguimos trabalhando para expandir nosso negócio ainda mais”, disse Miguel Teixeira da Silva português dono da marca.

Jat Azevedo, diretor-geral do Grupo Concept Franshising, confirmou que a intenção da marca é abrir mais lojas fora do Brasil em breve e garantiu que as negociações estão bem prospectadas. “Atualmente temos 275 lojas espalhadas pelo país inteiro e mais 40 fora do país. E, para além disso, existem outros nove países que estamos fechando negócio”, informou.

E o diretor conta a fórmula de sucesso para manter tantas lojas abertas ao redor do mundo. “São três pilares: produto de qualidade, uma vez que conseguimos democratizar o paladar do açaí e todo mundo gosta do sabor; design arrojado e agressivo (no bom sentido), que é notado em qualquer lugar e convida as pessoas a entrarem na loja e viver a experiência de experimentar o produto; e a praticidade do negócio, que é extremamente rentável e fácil de operar, com insumos que ficam dentro da sua loja sem necessidade de grandes manobras para a devida conservação”, detalhou.

Jat Azevedo, diretor-geral do Grupo Concept Franshising.

Concept Franshising

E o modelo de negócio do Açaí Concept deu tão certo que levou Miguel Teixeira da Silva a criar o Grupo Concept Franshising. “De modo geral, a empresa oferece os serviços de formatação, consultoria e expansão. Ou seja, a gente faz todo o estudo e acompanhamento para que um empreendedor possa abrir e manter a sua empresa bem sucedida. E decidimos iniciar nesse ramo porque víamos a quantidade de pessoas que tinham o sonho de ter o seu próprio negócio, mas não sabiam como fazer. Faltava conhecimento a elas. Então, a Concept Franshising faz justamente esse trabalho de estudo de viabilidade de negócio, análise de mercado, avaliação de concorrentes, formata toda a parte jurídica e comercial da empresa, cuida do layout etc. Enfim, ajuda em todo o processo até entregar ao interessado um negócio lucrativo em mãos”, detalhou o empresário.

E o custo para esse tipo de investimento gira em torno de R$ 50 mil a R$ 70 mil. “Além dos nossos mais de 300 franquiados globais da Acaí Concept, já tiveram nossa consultoria cerca de 100 empresas. E, atualmente, estamos com 20 marcas recebendo as orientações devidas. É um investimento importante porque todas as orientações necessárias são repassadas para dar segurança ao negócio. Mas, precisamos alertar que, não basta que a gente faça o nosso trabalho. A franquia por si só não dará certo porque as suas portas foram abertas ao público. E o franqueador não tem que trabalhar pelo franqueado. Cada empresário tem que ir em busca de fazer o melhor pela sua empresa. O sucesso depende da dedicação e atitude de dono”, alertou ele.

E Miguel fez mais uma observação considerável: no Brasil, a taxa de mortalidade de uma franquia é menor do que em um negócio tradicional. “As empresas tradicionais que não são bem planejadas, segundo dados oficiais, morrem nos primeiros 2 anos”, complementou.

Grupo Careca

Há 16 anos no mercado, o Grupo Careca, genuinamente alagoano, possui atualmente 14 lojas, dentro e fora de Alagoas. E o sonho do empreendedor Thiago Casado Lima França começou ainda em 2003, quando ele decidiu vender a sua única moto para abrir a primeira lanchonete. “Não foi fácil chegar até aqui. Com o dinheiro dos sanduíches que nós vendíamos, corríamos para comprar mais ingredientes para poder fazer os próximos. Foram anos de muita batalha até chegarmos ao patamar atual. E foi com muita determinação e, claro, treinamento, que o Grupo Careca cresceu e conseguiu se expandir”, contou ele.

Ao longo do tempo, Thiago conta que foi necessário priorizar a utilização de produtos de qualidade e a adotar processos que valorizavam cada vez mais seus colaboradores. “A gente precisa de pessoas motivadas para trabalhar conosco. Do contrário, o ambiente de trabalho não será um espaço de convivência harmonioso e feliz”, ressaltou.

Thiago Casado, dono do Grupo Careca.

Com o sucesso do ‘Sanduba do Careca’, em 2012, o Grupo inaugurou o Passaporte do Careca e a Esfirra do Careca, que foram sucessos na cidade. Em seguida, ele lançou a Sorveteria do Careca. E, com cada novo empreendimento trazendo mais bons resultados, em 2017, com a marca já tendo conquistado importante posicionamento no mercado alagoano no ramo da alimentação, Careca deu início ao processo de expansão da sua marca por meio do modelo de franquias. “Hoje são 14 lojas em Maceió, no interior em vários estados e a aceitação do público só nos dá a certeza de que estamos no caminho certo. E o que exigimos dos nossos franqueados? Que eles saibam lidar com o público em geral, que busquem capacitação na área de administração, que sigam, por óbvio, as regras da franqueadora e que eles tenham a operação do Sanduba do Careca como atividade principal para que possam estar 100% dentro do negócio”, detalhou Thiago Casado.

Também é importante que o franqueado tenha identificação com nosso tipo de negócio, espírito empreendedor e boa capacidade financeira”, acrescentou ele. 

Mais recentemente, agora em 2019, o Grupo inaugurou o Auuu Dog do Careca, que tem uma pegada diferente, voltada para lanches rápidos e com um custo menor. No cardápio da lanchonete, quatro sabores de hot-dogs que vão desde o clássico ao mais caprichado com bacon e cheddar, além nugets crocantes que podem ser servidos de entrada. E tudo isso, claro, com o toque especial da maionese de cenoura já tão conhecida pelos clientes, acompanhado de refresco ou refrigerante.

Apostamos num negócio mais enxuto, com menos funcionários, com lanches rápidos e melhor custo-benefício. Estamos vendendo combos de hot dogs + bebida por apenas R$ 9,99. Com isso, pretendemos colocar a marca Auuu Dog do Careca em todo país, a começar por Maceió e pelos municípios do interior de Alagoas. E mal inauguramos a loja piloto, e algumas unidades para a franquia já não estão mais disponíveis. Estamos muito felizes”, comemorou Thiago Careca.

Lanche do Bem

Há cerda de 20 anos, criança gordinha era sinônimo de saúde. Mas, os tempos mudaram. E ainda bem! De acordo com o resultado de uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) realizada em parceria com o Ministério da Saúde, atualmente, a obesidade infantil é uma das maiores preocupações de pais e médicos porque a cada três crianças brasileiras com idade entre cinco e nove anos, uma está acima do peso recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

E justamente para ajudar a mudar esse quadro que as irmãs Monice e Marcela Moreira criaram a Lanche do Bem, em 2016. “Na verdade, a Lanche do Bem surgiu para curar a dor de uma mãe, que era eu, que estava extremamente incomodada com a qualidade dos produtos servidos ao meu filho na hora do recreio. Eram guloseimas e lanches muito açucarados e aí, eu, que vinha cuidando da alimentação dele de forma muito saudável em casa, deparei-me com aquela realidade. Foi quando decidi fazer a sua própria lancheira. E, como eu estava desempregada, resolvi oferecer o serviço para outras mães que eram minhas amigas. E muitas adoraram a ideia”, conta Monice.

Com um mês trabalhando assim, consegui 15 clientes. E, em cinco meses, eu já tinha 70. Ou seja, o negócio estava realmente ganhando proporções. As mães aprovaram o cardápio com frutas, um suco natural e uma porção de carboidrato. E eu montava as lancheiras desses alunos e um motoboy saía para fazer as entregas. Era tudo amador, feito em casa”, relembra.

Monice e Marcela, sócias da Lanche do Bem.

Mas foi em 2017 que a Lanche do Bem decidiu se tornar uma empresa, e Monice decidiu alugar um ponto para servir como cozinha. Em junho daquele ano, já eram 270 crianças atendidas. Em razão do volume de clientes, ela entendeu que precisava se profissionalizar por completo e chamou a irmã Marcela para dividir as tarefas. “Eu vinha de um grupo empresarial grande e tinha muitas noções de administração. E até já ajudava de longe, sem estar dentro da empresa diretamente. Então, quando o negócio realmente cresceu, decidi aceitar o convite. Foi a minha melhor escolha”, garante Marcela.

E a partir da união de trabalho das duas irmãs a empresa deu um salto ainda maior e decidiu mudar o foco do negócio: “Nós passamos a vender educação alimentar. Ou seja, a gente não fazia mais o lanche, e sim, ensinava a produzi-lo. Temos todo um padrão de qualidade que precisa ser seguido, de modo que a criança e o adolescente possa comer produtos saudáveis e que lhe fazem bem”, esclareceu Marcela. 

Atualmente, a dupla comercializa a cantina da Lanche do Bem para cinco grandes escolas na capital, que precisam adaptar sua cozinha, pessoal e alimentos às regras da empresa. “A gente tem uma nutricionista que cuida do cardápio e, nós duas, fazemos pessoalmente a auditoria nas escolas, que precisam ter um chef de cozinha e auxiliares bastante comprometidos com a nossa proposta de lanche saudável e nutritivo”, explicou Monice.

E como a nossa proposta é a de educação alimentar, a quantidade de porção vai variando de acordo com a idade do cliente. O cardápio é 80% igual em todos os colégios, porém, em razão do público, em alguns deles a gente aumenta ou diminui a quantidade de alimentos de acordo a idade da criança ou do adolescente”, acrescentou Marcela.

E por conta da expansão da empresa, a Lanche do Bem decidiu se tornar uma franquia. “O tipo de serviço escolhido deu certo e outros estados estão interessados, então, resolvemos nos tornar franqueadores. Inclusive, estamos criando também um projeto de material didático para tornar a educação alimentar uma disciplina escolar. Ele deverá estar pronto em 2020 e as escolas já se comprometeram em torná-lo parte da sua grade curricular”, comemorou Monice Moreira.

Yes Cosméticos

O setor de perfumaria, beleza e cosméticos é mais um que não para de crescer. Entra crise, sai crise, e o faturamento de produtos do gênero sempre apresenta saldo positivo e com expectativa de crescimento para o ano seguinte. Somente em 2018, o segmento movimentou mais de R$ 102 bilhões no país, um crescimento de 3,2% com relação ao ano anterior, foi o que apontou a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal (Abihpec). E para 2019, a expectativa é que o mercado de franchising avance mais 10%.

Felipe Espinheira, vice-presidente da Yes Cosmetics!.

E dentro desse ramo, a Yes Cosmetics! – que apesar de não ser alagoana, é nordestina e tem lojas aqui no estado – vem cada vez mais ganhando espaço. Com baixo custo e fácil operação, a empresa ingressou no modelo de negócio de franchising há três anos e, desde então, já conseguiu se expandir com a abertura de mais de 90 unidades espalhadas por todo o Brasil, “E existem mais 30 novas lojas a caminho até o final deste ano de 2019”, assegura Felipe Espinheira, vice-presidente da Yes!.

Segundo ele, a empresa oferece dois tipos de negócio, exatamente para poder se encaixar melhor no valor disponível para investimento por parte do empreendedor: quiosques ou lojas. O investimento inicial custa R$ 105 mil e oferece um faturamento médio de R$ 60 mil por unidade e rentabilidade média de 15%.

A Yes! também aposta num design inovador e moderno para captar novos franqueados e, por consequência, clientes. As unidades são coloridas e convidativas, favorecendo a experimentação dos produtos o que, normalmente, acaba por aumentar as vendas. Por isso, em apenas três anos, ela se tornou um sucesso expressivo entre as franquias no Brasil, oferecendo aos consumidores cerca de 300 itens entre perfumaria, cosméticos, produtos de higiene pessoal, hidratantes corporais, maquiagens e acessórios.

E para convencer o empreendedor a optar pela sua marca, a empresa reforça o todo o suporte oferecido pela rede, com orientações que vão desde a escolha do ponto comercial ao projeto arquitetônico, até a implantação, marketing e operação. O franqueado participa ainda de treinamentos técnicos, operacionais e gerenciais, com assessoria de uma equipe multidisciplinar, com foco no sucesso do negócio.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade