Teatro #emcasacomsesc Traz Monólogos de Caco Ciocler, Fabiana Gugli e Soraya Ravenle

Entre 29 de julho e 2 de agosto, a programação traz Medusa, com Caco Ciocler interpretando texto de Jô Bilac e direção de Monique Gardenberg, o monólogo dirigido por Gerald Thomas, Terra em Trânsito, e o solo Instabilidade Perpétua, sobre questões filosóficas

Assessoria de Comunicação / Marina Franco

Teatro #emcasacomsesc Traz Monólogos de Caco Ciocler, Fabiana Gugli e Soraya Ravenle

O Sesc São Paulo promove desde maio a série Teatro #EmCasaComSesc, com a transmissão de diferentes trabalhos cênicos, direto da casa dos artistas, sempre às segundas, quartas, sextas e domingos, às 21h30. Nesta semana, o público confere os monólogos Medusa, com Caco Ciocler, Terra em Trânsito, interpretado por Fabiana Gugli, e Instabilidade Perpétua, com Soraya Ravenle .

Na quarta-feira, 29, o ator Caco Ciocler encena Medusa. Originalmente, o solo forma parte do espetáculo Fluxorama, com direção de Monique Gardenberg e texto de Jô Bilac, composto por quatro peças curtas – Amanda, José Guilherme, Valquíria e Medusa, esta última sugerida por Gardenberg ao autor quando convidada para dirigir a primeira encenação. No texto, Caco Ciocler interpreta a tentativa desesperada de um homem de meditar em meio ao caos urbano. Ao tentar esvaziar a mente, a questão do sentido na vida se coloca em seu caminho. A peça oferece uma reflexão, ora cômica, ora dramática, a respeito do homem contemporâneo e sua existência num mundo em aceleração.

Fluxorama surge de um processo de investigação da dramaturgia performativa e toma o ato de pensar como ponto de partida para a criação. A narrativa é constituída sob a ótica de personagens que vivenciam situações-limite, tornando-se reféns do fluxo de seus pensamentos e memórias, num curso ininterrupto de consciência.

Fabiana Gugli encena na sexta-feira, 31, Terra em Trânsito, espetáculo dirigido por Gerald Thomas e com a participação de Marcos Azevedo. A peça narra a história de uma cantora de ópera que se encontra dentro de um camarim em processo de concentração, aquecimento e delírio. Ela conversa o tempo todo com um cisne e alimenta o animal, com a intenção de fazer foie gras. O texto, uma homenagem a Glauber Rocha, e? lu?dico, verborra?gico e nos remete ao universo das grandes estrelas atormentadas, como Judy Garland ou Bette Davis. Nervosa o tempo todo, a diva se ajeita no espelho, fala pelos cotovelos, arruma o cabelo, o figurino, aquece a voz, dança e divaga sobre o mundo e a vida.

No domingo, 2 de agosto, a atriz Soraya Ravenle apresenta Instabilidade Perpétua, seu primeiro solo teatral, baseado no livro homônimo do filósofo e poeta paulistano Juliano Garcia Pessanha. A obra, publicada em 2009, apresenta uma coletânea de ensaios filosóficos e historietas. Assinando a dramaturgia com Diogo Liberano, Soraya instiga o público com aspectos filosóficos da existência humana em sociedade, oferecendo ao espectador uma maneira de enxergar a vida através das próprias feridas. A encenação é o resultado de um processo colaborativo que contou com quatro diretoras: Julia Bernat e Stella Rabello, responsáveis por esta adaptação audiovisual, e que junto com Daniela Visco e Georgette Fadel formam o grupo de diretoras da encenação para o teatro.

Cena Inquieta: a nova série documental do SescTV que investiga as formações, conceitos e trajetórias de grupos e artistas do teatro brasileiro

Além das lives no YouTube, o SescTV acaba de lançar uma série de documentários dedicados ao teatro: Cena Inquieta, com curadoria de Silvana Garcia e direção de Toni Venturi. A série é uma abrangente cartografia sobre a nova geração do teatro de grupo produzido no Brasil. Composta por 26 documentários de 55 minutos cada, o trabalho mapeou os mais importantes coletivos teatrais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife.

São 48 companhias estáveis de teatro e mais 10 artistas solos que vem desenvolvendo trabalhos relevantes de experimentação de linguagem nos eixos do teatro negro, político e de gênero. Cada episódio apresenta dois grupos teatrais, alguns programas exibem também espetáculos solos de artistas que marcaram a cena nacional na última década, e um especialista (pesquisador, crítico ou jornalista) que comenta e contextualiza a cena ou proposta exibida.

A programação faz parte do projeto #Do13ao20 – (Re)Existência do Povo Negro, que faz alusão aos marcos do 13 de maio e do 20 de novembro, propõe diálogos sobre a condição social da população negra e objetiva reiterar os valores institucionais, bem como o reconhecimento das lutas, conquistas, manifestações e realidades do povo negro.

Para sintonizar o SescTV: Canal 128 da Oi TV ou consulte sua operadora. Assista também online em sesctv.org.br/aovivo. Siga o SescTV no twitter: http://twitter.com/sesctv E no facebook: https: facebook.com/sesctv.

Agenda Teatro #EmCasaComSesc 27 a 31 de julho, 21h30

29/7, quarta: Caco Ciocler em Medusa

31/7, sexta: Fabiana Gugli em Terra em Trânsito

02/8, domingo: Soraya Ravenle em Instabilidade Perpétua

Até aqui, o Teatro #EmCasaComSesc apresentou 41 espetáculos a uma audiência de mais de 190 mil visualizações. Já passaram pela série os artistas Celso Frateschi, interpretando, de sua autoria, Diana, Georgette Fadel em Terror e Miséria no Terceiro Milênio, de Bertolt Brecht, Sérgio Mamberti em Plínio Marcos, Um Homem do Caminho, Ester Laccava com Ossada, Jé Oliveira em Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens, de sua autoria, Gustavo Gasparani em Ricardo III, de Shakespeare, Lavínia Pannunzio com Elizabeth Costello, Grace Passô, interpretando Frequência 20.20, Denise Weinberg em O Testamento de Maria, Ailton Graça com Solidão, Cacá Carvalho em O Carrinho de Mão in A Poltrona Escura, Bete Coelho interpretando Mãe Coragem, Gero Camilo em A Casa Amarela, Eduardo Mossri com Cartas Libanesas e Cláudia Missura em Paixões da Alma, Matheus Nachtergaele com seu Desconscerto, o ator pernambucano Dinho Lima Flor com o espetáculo Ledores no Breu, Jhonny Salaberg em Buraquinhos ou o vento é inimigo do Picumã, Cassio Scapin com Eu Não Dava Praquilo, Clara Carvalho em A Mais Forte, Rodrigo França na leitura de Contos Negreiros do Brasil, Mariana Lima com a peça SIM – Cérebro|Coração em conferência para a terra, Amanda Lyra em Quarto 19, Denise Fraga com Galileu e Eu – A Arte da Dúvida, Yara de Novaes com o monólogo Justa, Leonardo Netto em 3 Maneiras de Tocar no Assunto – O Homem com a Pedra na Mão, Lucelia Sergio em Engravidei, Pari Cavalos e Aprendi a Voar Sem Asas, Débora Falabella com O Amor e Outros Estranhos Rumores e Debora Lamm encenando Mata Teu Pai, Ondina Clais apresentou Katierina Ivânovna, Antônio e Rocco Pitanga em Embarque Imediato, Teuda Bara em Queria Teatro, Pascoal da Conceição em Os Malefícios do Tabaco, Renato Borghi com Meu Ser Ator, Irene Ravache em Alma Despejada, Felipe Oládélè na performance Fragmentos, Ana Cristina Colla trouxe o solo SerEstando Mulheres, Darson Ribeiro encenou O Homem que queria ser livro, Rodrigo Bolzan apresentou projeto b e Christiane Tricerri mostrou Frida Kahlo – Viva la Vida.

+ SESC NA QUARENTENA

Durante o período de distanciamento social, em que as unidades do Sesc no estado de São Paulo permanecem fechadas para evitar a propagação do novo coronavírus, um conjunto de iniciativas garantem a continuidade de sua ação sociocultural nas diversas áreas em que atua. Pelos canais digitais e redes sociais, o público pode acompanhar o andamento dessas ações e ter acesso a conteúdos exclusivos de forma gratuita e irrestrita. Confira a programação e fique #EmCasaComSesc.

+ SESC DIGITAL

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado.

Saiba +: Sesc Digital

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

Cinemas