7 passos que fizeram a marca alagoana Caleidoscópio estar presente em quase 20 países

No Natal de 2015, a ex-primeira ministra da Polônia, Ewa Kopacz, posou para uma foto de fim de ano com um colar adquirido em uma loja de Varsóvia de uma marca alagoana.

Agenda A / Agenda A

7 passos que fizeram a marca alagoana Caleidoscópio estar presente em quase 20 países

Ewa Kopacz não é a única cliente internacional das joias artesanais da Caleidoscópio, empresa criada em 1998 pelas irmãs Renata e Janine Fontan que completa 20 anos nesta quarta com presença em pontos de venda na França, Alemanha, Inglaterra, Áustria, Suécia, Espanha, Portugal, Chile, Japão, Bélgica, Itália, Grécia, Suíça, Colômbia, Emirados Árabes, Holanda, Estados Unidos e Austrália. Com 35% do faturamento oriundo de exportações via distribuidores, a Caleidoscópio busca agora consolidar suas lojas próprias. “Após a abertura da nossa loja ano passado, em São Paulo, já estamos definindo a abertura de uma loja conceito em um shopping na capital paulista”, diz Renata Fontan. Com ajuda de Renata, AGENDA A lista agora cinco passos dados pela marca para conquistar o mercado nacional e internacional. 1 – Desenvolva um produto original – apesar de terem começado a produzir bijuterias para colegas ainda durante o curso de Arquitetura, as irmãs Fontan logo descobriram que precisavam investir em peças com técnicas originais. Investiram em uma técnica egípcia artesanal que agregou mais valor e identidade aos produtos.  2 – Participe das feiras nacionais do setor – Já em 1998, as irmãs marcavam presença em grandes feiras do setor em São Paulo para conhecer o mercado, captar tendências e entender o que os clientes desejavam. 3 – Invista no relacionamento – Antes de expor a marca em uma dessas feiras em São Paulo, as irmãs Fontan enviaram algumas de suas peças para produtoras de ensaios de moda de grandes revistas nacionais. Como resultado, conquistaram páginas de mídia espontânea (não paga) em revistas como Elle – o que tornou a marca mais conhecida nacionalmente; 4 – Arrisque-se internacionalmente – Em 2005, no “Ano do Brasil na França”, a Caleidoscópio buscou parcerias para conseguir expor seus produtos em uma feira em Paris. No evento, além da boa recepção das peças da marca, as sócias descobriram que precisariam fazer uma série de adaptações nos produtos para estarem aptas ao padrão internacional;  5 – Associe-se a grandes marcas para crescer – Após travar contatos com representantes da marca de cristais austríaca Swarovski, as sócias da Caleidoscópio decidiram participar de um concurso para desenvolver peças usando os cristais da marca. Resultado: foram convidadas a conhecer a sede da Swarovski em Viena e a desenvolverem peças para a loja online da marca – o que abriu o mercado internacional; 6 – Adapte-se e repense o foco da estratégia quando necessário – a partir de 2006, as sócias descobriram que precisavam investir no planejamento das coleções de uma maneira semelhante à da indústria da moda, concentrando esforços no desenvolvimento de uma linha menor de peças com mais valor agregado; 7 – Caminhe e peça ajuda aos parceiros – Desde o início da produção, as irmãs Fontan buscaram ajuda de parceiros como o Sebrae Alagoas, a Federação das Indústrias do Estado e, mais recentemente, o Sindicato da Indústria de Vestuário em Alagoas – responsável por iniciativas ousadas como a realização de um desfile no Minas Trend de acessórios exclusivo para marcas alagoanas. “Sem esses parceiros, jamais teríamos chegado onde chegamos”, diz Renata Fontan.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade