A nova onda roqueira da cidade sob o comando da Crooked Tree Records

O selo e gravadora lança o evento “Crooked Sessions” no Pub Fiction, nessa quinta-feira (29); Jorg, Killing Surfers e Sebage são as atrações

Assessoria de Imprensa / Jorge Barboza

A nova onda roqueira da cidade sob o comando da Crooked Tree Records Killing Surfers, crédito CLAUDIONOR GOMES

“Crooked Sessions” é mais um evento do selo alagoano Crooked Tree Records, fundado há pouco mais de um ano com um elenco que inclui a legendária banda Mopho – que lançou pelo selo, no início do ano, o emocionante álbum “Brejo” – e a novíssima trupe da Jude, outro trunfo da gravadora que desde dezembro de 2016, quando estreou com o psicodélico álbum virtual “Ainda que de Ouro e Metais”, vem conquistando fãs por todo o Brasil. Retomando um projeto musical iniciado ainda nos anos 1980, Sebage fez o lançamento da coletânea “Beatnik” em janeiro deste ano. É com Sebage e banda mais a galera shoegaze da Killing Surfers e o projeto Jorg, do músico Caíque Guimarães, todos com álbuns e EPs lançados pela gravadora, que o evento “Crooked Sessions” dá o pontapé inicial, nessa quinta-feira (29), a partir das 20h, na casa de shows mais roqueira da cidade, o Pub Fiction.

A cada mês, as “Crooked Sessions” apresentarão artistas locais que compõem o elenco da Crooked Tree Records, contando, também, com bandas e músicos convidados de outros Estados, como o paulistano Diaz, já agendado para julho, e os cariocas da banda Humbra, marcada para agosto. Prepare-se que as pedras apenas começaram a rolar.

“Nessa primeira sessão, teremos o artista solo Sebage, o ‘clássico’ da Crooked acompanhado de sua banda, seguido pela Killing Surfers descolando aquela barulheira ora fofinha ora furiosa, e Jorg, a banda do artista Bad Rec Project que não é outro senão o superguitarrista e violonista Caíque Guimarães”, explica o criador e diretor executivo da gravadora, o guitarrista Mário Alencar, que toca com a Killing Surfers e Sebage, além de empreender outros projetos solos, como o instrumental Sketchquiet.

E tem mais, o guitarrista e produtor Reuel Albuquerque, da linha de frente das bandas Jude e Morfina, veste a carapuça do DJ Ecolalia prometendo sacudir o esqueleto da moçada antes de as bandas subirem ao palco para tocar. Vai ser uma daquelas noites que você não vai mesmo ficar de bobeira.

Pensou que a cena rock de Maceió estivesse meio paradinha? Que nada. Nem mesmo no São João os caras dão trégua. Tendo realizado no dia 13 de maio o bem sucedido primeiro “Crooked Records Fest” – que lotou o espaço Quintal Cultural, no bairro do Bom Parto na região central de Maceió –, a gravadora está com a corda toda já planejando as “Crooked Folk” – estas circularão pelos quintais de músicos que desejarem abrir suas portas para essa entourage de artistas inquietos e talentosos, já começando em julho na casa de Sebage. Aguardem a confirmação da data.

A entrada para a estreia das “Crooked Sessions”, como diz o manager Mário Alencar, “custa apenas cinco temers vacilões” – ou seja, R$ 5. “E para quem chegar na hora do show da banda Jorg, irá ganhar o disco do projeto Bad Rec Project, que acaba de ser lançado pela Crooked. Mas fique atento, só pega o disco quem chegar na hora da primeira banda, que é a Jorg. Quando acabar o show deles, não ganha mais”, avisa o boss da Crooked.
Para acompanhar a página “Crooked Sessions” no Facebook, acesse https://www.facebook.com/events/1874861635915850/.

E aqui vão os links dos músicos que compõem essa primeira edição do evento:
Sebagehttps://crookedtreerecords.bandcamp.com/album/beatnik

Killing Surfershttps://killingsurfers.bandcamp.com/

Jorg: https://transtorninhorecords.bandcamp.com/album/crav-pera

CROOKED SESSIONS – Quinta-feira (29), às 20h. Ingressos: R$ 5.

PUB FICTION – Avenida. Doutor Antônio Gomes Barros,1.144 (antiga Amélia Rosa), Jatiúca.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade