Considerado Patrimônio Vivo de Alagoas, morre aos 79 anos o mestre Benon

Ele estava internado no HGE e não resistiu a uma hemorragia, provocada por complicações causadas pela chikungunya

Considerado Patrimônio Vivo de Alagoas, morre aos 79 anos o mestre Benon

Considerado Patrimônio Vivo de Alagoas desde 2006, morreu nessa quinta-feira (28) o mestre de Guerreiro Benon Pinto da Silva, aos 79 anos. Ele estava internado no Hospital Geral do Estado (HGE) e não resistiu a uma hemorragia, provocada por complicações causadas pela chikungunya.

Mestre Benon, como era mais conhecido, criou o Guerreiro “Treme-Terra de Alagoas” na década de 80, que tinha sede no bairro da Chã de Bebedouro, em Maceió, e era considerado uma referência no folclore em Alagoas.

O velório e sepultamento deve acontecer na cidade de Murici.

Da Cidade de Cabo, em Pernambuco, mestre Benon veio morar em Alagoas ainda pequeno e adotou o estado. Foi em Alagoas que conheceu o guerreiro no município de Cajueiro.

Mestre Benon foi caboclinho no guerreiro da mestra Joana Gajuru, depois vassalo, índio Peri, embaixador. Entre os mestres que o ensinaram estão Antônio Henrique, João Inácio, Adelmo, Francisco do Jupi.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade