Jornalistas alagoanos vencem luta contra redução de 40% no piso e ampliam salários

TRT deu 3% de aumento, negou proposta de empresas e garantiu três meses de estabilidade

Diário do Poder

Jornalistas alagoanos vencem luta contra redução de 40% no piso e ampliam salários Foto: Jonathan Lins

Por unanimidade dos desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT/AL) e após nove dias de uma greve histórica que ganhou projeção nacional e internacional, os jornalistas alagoanos venceram a luta contra a propostas de redução de 40% de seus pisos salariais, formuladas por emissoras de televisão afiliadas à Globo, SBT e Record, em Alagoas. Ao contrário da redução salarial pleiteada pelas empresas, o julgamento do dissídio também garantiu uma reposição de 3% nos salários dos jornalistas alagoanos, durante a sessão encerrada na tarde desta quarta-feira (3).

A decisão também negou descontos ou reposição das horas não trabalhadas durante a paralisação. E garantiu uma estabilidade dos grevistas por um prazo de 90 dias após a publicação do acórdão do julgamento. O que impede que assegura o recebimento dos salários deste período, mesmo com eventuais demissões sem justa causa.

O Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sindijornal) considerou a decisão como uma vitória que garante a conquista histórica de Alagoas pelo seu piso salarial, que agora será o maior do país, superando o valor pago no Estado do Paraná. Em vez de reduzir para R$ 2.150,00, o piso salarial dos jornalistas, que atualmente é de R$ 3.565,27, alcançará o valor de R$ 3.672,22 com o aumento parcelado em quatro vezes.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade