Robô do Google se tornou um ‘deus’, diz campeão derrotado pela máquina

Ao menos em teoria, não existe na Terra uma pessoa capaz de superar a inteligência artificial do Google quando se trata de Go, um milenar jogo chinês que vem sendo usado para testar as habilidades da máquina há mais de um ano.

Olhar Digital

Robô do Google se tornou um ‘deus’, diz campeão derrotado pela máquina Sede do Google em Mountain View, na Califórnia (Foto: Jason Doiy/iStock)

Envolvido em um desafio de três partidas contra o número um de Go no mundo, o robô — chamado de AlphaGo — acaba de completar sua segunda vitória seguida, inviabilizando qualquer possibilidade de virada pelo oponente. Embora ainda haja mais uma partida a ser disputada, o humano já está derrotado.

O adversário do AlphaGo é Ke Jie, um chinês de 19 anos que é considerado prodígio no jogo. Na última terça-feira, 23, após sofrer a primeira derrota (que ocorreu por apenas meio ponto), Jie disse a jornalistas que o robô do Google havia se tornado forte demais para os humanos, podendo ser definido como o “deus de Go”. “Sério, é brilhante”, comentou, segundo reporta o The Guardian.

Vitória às escuras

O AlphaGo é uma criação da DeepMind, empresa britânica que foi comprada pelo Google e realocada para baixo do guarda-chuva da Alphabet, conglomerado que reúne várias empresas que antes eram administradas pela gigante de buscas. Seu triunfo veio acompanhado de uma polêmica, já que, conforme noticiado pelo China Digital Times, sites chineses foram proibidos de transmitir as partidas em tempo real.

O evento em que ocorre o desafio está sendo promovido pelo Google dentro de território chinês e contra um oponente chinês. Como o país é um dos principais rivais dos Estados Unidos no desenvolvimento de inteligências artificiais, pode ser que o governo tenha se incomodado com a comprovação de que os americanos estão à sua frente — pelo menos quando se trata de jogos de estratégia.

A próxima etapa do pequeno torneio será realizada no sábado, 27, mas um dia antes o AlphaGo enfrentará dois desafios diferentes: primeiro, o robô terá de jogar como parceiro de dois humanos que estarão agindo um contra o outro; depois, atuará contra cinco jogadores de uma só vez.

Não entende por que isso é tão importante? Até o ano passado, quando o AlphaGo bateu o sul-coreano Lee Se-dol, um dos principais jogadores de Go do mundo, as máquinas só haviam superado os humanos em jogos de tabuleiros, como dama e xadrez. Go, entretanto, exige um nível de intuição muito superior, conforme explicamos neste texto.

Publicidade

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade