Vídeo que exibe decapitação é autêntico, diz FBI

Afirmação foi feita pelo GlobalPost, onde trabalhava jornalista morto. FBI indicou acreditar autenticidade para os pais da vítima.

Vídeo que exibe decapitação é autêntico, diz FBI

A Casa Branca confirmou nesta quarta-feira (20) a autenticidade do vídeo divulgado na terça-feira mostrando a execução do jornalista James Foley por militantes do Estado Islâmico (EI).

“Os serviços de inteligência analisaram o vídeo difundido recentemente que mostra os cidadãos americanos James Foley e Steven Sotloff. Chegamos à conclusão de que este vídeo é autêntico”, informou Caitlin Hayden, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, em um comunicado.

O FBI também declarou aos pais do jornalista americano sequestrado acreditar que o vídeo de sua execução é autêntico, informou o GlobalPost, para onde a vítima trabalha.

“O FBI indicou na manhã desta quarta-feira à família Foley que acredita que o vídeo é autêntico. O FBI prossegue com seu procedimento mais amplo de investigação oficial”, indicou o GlobalPost em seu site.

Ao mesmo tempo, fontes do governo confirmaram novos ataques aéreos no norte do Iraque após a execução do jornalista pelos jihadistas do Estado Islâmico.

O vídeo, intitulado “Uma mensagem aos Estados Unidos”, foi publicado em sites de mídia social. Não foi possível verificar a autenticidade do vídeo imediatamente.

No vídeo, o EI mostra um homem de capuz vestido de preto que parece cortar a garganta do jornalista. Segundo a France Presse, o vídeo foi divulgado em represália pelos ataques aéreos dos Estados Unidos contra forças jihadistas no norte do Iraque.

Após a divulgação do vídeo, a mãe do jornalista de Foley pediu a libertação dos reféns das mãos dos jihadistas na Síria.

“Nunca estivemos mais orgulhosos de nosso filho Jim. Deu sua vida tentando mostrar ao mundo o sofrimento do povo sírio. Imploramos aos sequestradores que perdoem a vida dos demais reféns. Como Jim, são inocentes e não têm controle sobre a política do governo americano no Iraque, na Síria, nem em nenhum lugar do mundo”, escreveu Diane Foley no Facebook.

Nesta terça, a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Caitlin Hayden, disse que o governo dos EUA assistiu ao vídeo e não confirmou sua autenticidade. Segundo ela, se o vídeo for considerado autêntico pela equipe de inteligência, os Estados Unidos ficariam “horrorisados com o brutal assassinato de um jornalista americano inocente”, informa a Associated Press.

Os supostos militantes do EI afirmaram que mantêm refém o jornalista norte-americano Steven Sotloff e disseram que sua vida depende do próximo passo do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Publicidade

HVT Card
HVT Card

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Publicidade

HVT Card